terça-feira, 19 de junho de 2012

O marketing quem deve fazer é o ABC, mas a responsabilidade é do torcedor

Eu vi que alguns comentários aqui no Blog e em outros meios de comunicação, torcedores começando a cobrar quem foi contra ao aluguel do Frasqueirão. Cobrando ações de incentivo junto ao torcedor. Seja incentivando a ida ao Estádio ou a fidelidade ao programa do Sócio Mais Querido.  Não vejo como blogueiros possam ser responsáveis por tais ações.

A responsabilidade pelos destinos do ABC é e sempre será do ABCdista, de todos sem exceções. É de cada um, da mesma maneira que, em minha opinião, todo ABCdista deve aderir pelo menos ao plano mais barato. É certamente um investimento direto em seu time do coração. Quem não concorda com isso certamente não reconhece o ABC como a si mesmo, não vê o uniforme como a sua segunda pele, nem acha que o preto e branco são as cores de seu sangue.  

Tudo que disse no ultimo parágrafo é bonito, só que a vida não é bonita, é pratica. A muito tempo as ações de marketing foram esquecidas por parte da Direção de Marketing. O torcedor que foi convencido a se associar, não foi de fato convencido a se fidelizar. A fidelização não aconteceria só com vitorias do time dentro de campo, como alguns pensam, mas com ações reais fora dele. O marketing não é solução para tudo, mas é o caminho que toda ação de sucesso deve trilhar.

Alguém lembra a ultima grande ação de marketing? Pelo menos a ultima? Eu não lembro, e se nós torcedores não lembramos é por que ou não existiu ou foi pálida. Nº de Sócios adimplentes não passa de 2000. 

Achar que o torcedor, por que foi contra o aluguel do Frasqueirão, iria magicamente aparecer no Estádio, é ser no mínimo inocente. Eu reconheço que não sou o típico torcedor. Eu gosto de ir mais além, gosto de saber alguns meandros do futebol que pouca gente tem estomago para saber. Gosto de ver futebol na beira do gramado, e não acho tanta graça em ver futebol pela TV. Eu não sou o perfil do torcedor ABCdista. O ABCdista é outro e duvido que alguém que administra o marketing do ABC sabe exatamente quem são, ou está interessado realmente em atender-los.

O ABCdista meus amigos, o mais fiel, é aquele que não tem a menor condição de acompanhar seu clube. É aquele que fica na porta do Frasqueirão pedindo real por real, inteirando o dinheiro do ingresso, ou da passagem de ônibus. É aquele cara que não irá ler esse texto por que não tem acesso a internet, ou nem sabe o que é isso. É aquele sujeito que fica em pé na porta de um bar assistindo aos jogos, por que não tem dinheiro para comprar uma coca-cola. Eu me lembro de ver no campo, seja Machadão ou Frasqueirão, um perfil de torcedor que hoje está extinto... E essa turma também é ABCdista.

Vamos falar sério? Ninguém quer. O que querem é empurrar a responsabilidade para os outros. Pois eu digo que essa culpa eu não carrego.

O torcedor não vai ao Estádio por vários motivos, que em conjunto respondem por isso; localização do Frasqueirão, transportes públicos,  preço dos ingressos, preço das comidas e bebidas, a qualidade do futebol apresentado e a transmissão dos jogos pela TV. 

Sou sócio do ABC desde 2008 ininterruptamente. Me arrependo por não ter sido sócio já em 2007. Pago o boleto religiosamente nos primeiros cinco dias do mês. É um investimento que faço, por acreditar que com meu dinheiro o ABC pode seguir vivo.

Cada um tem a sua consciência. Certamente quem está lendo este texto tem condições de investir em uma das categorias de Sócio disponível. Não sou eu quem deve dizer algo, cada um tem sua consciência.

PS. Querem saber o vergonhoso numero de sócios adimplentes do ABC. Os mais espertinhos vão achar nesse texto.

6 comentários:

Anônimo disse...

Excelente texto e análise Diego. Eu acrescentaria + 2 razões para o afastamento do torcedor do estádio: a proibição da venda de bebidas alcoólicas dentro do estádio e a " elitização" de nosso torcedor promovida pela estratégia de marketing, quando sabemos que a maioria sempre foi de classes mais humildes, como diz o início do nosso hino: ABC clube do POVO, campeão das Multidões ...Já que estamos com espaços de sobra no estádio que tal o ABC fazer venda de ingressos nos bairros da periferia a preços únicos de R$10,00. Cada jogo se escolheriam 2 ou 3 bairros com pontos de vendas estratégicos tipo padaria, farmácia e mercadinhos que também seriam parceiros pois vão atrair clientes para o estabelecimento e, para que não houvesse desvio o torcedor teria que apresentar uma comprovação de residência da localidade. Ao mesmo tempo teria uma ação de marketing para adesão ao programa de sócio torcedor do bairro e a aprentação dos parceiros da rede de descontos da localidade. É mais uma sugestão.
Abraço,
Loremberg

Anônimo disse...

OS TORCEDORES DO ABC, GOSTAM MESMO É DA SERIÉ B.

Alexandre Costa disse...

rsrs...
e eu achei q era "erro" na postagem.
fui lendo, lendo, passei pelo numero de sócios, já tava pensando em escrever pra vc, mas li o PS.
Só descobri pq eu leio na internet usando o mouse.
Mania.

Anônimo disse...

Oi Diego, acho você está enganado em relação ao número de sócios adimplentes. No jogo contra o Joinville, só de sócios torcedores de arquibancada foram 2277. O Augusto Azevedo ontem falou que a adimplência gira em torno de 50%. Como em abril, o ABC anunciou que tinha 11.309 sócios torcedores, então o número de adimplentes está em torno de 5.655.

O meu plano vence no final deste mês. Essa semana vou lá para renová-lo.

Eu sou a favor do aluguel se for nos moldes que falaram (2 milhões). Aquela história de receber 375.000 mais 10% das rendas do time genérico não tinha futuro nenhum. Até porque a gente sabe que esse dinheiro do governo poderia ser bloqueado a qualquer momento.

[]s,
Bruno.

Black Ace disse...

Sou lezado e não consegui ver não, desenhe pra mim.

Thanks.

Diego Ivan disse...

Bruno:

Esse numero eu soube através de outro bambambam de lá de dentro. Acho até que pode ter alguma diferença, mas não passa de 3500. Basta ver os públicos do ABC nos últimos meses.

Black Ace:

Que isso malandragem, logo vocês não viu... É só selecionar o texto.

Loremberg:

Baixar o preço dos ingressos para R$10,00 é bem difícil. Não vejo isso como solução, mas uma redução seja para R$ 25 ou R$ 30 tem que ser estudada. Suas ideias em relação a atuação nos bairros é muito boa. O problema é que o ABC não está trabalhando o marketing.

Alexandre:

Quando eu fico cansado, a leitura na tela do computador só sai assim.

Abraços !!!