segunda-feira, 21 de junho de 2010

Seleções africanas decepcionam em plena África: O que há de errado com elas?

Chega a ser irônico o fato de que, justamente na 1ª Copa do Mundo realizada em solo africano, as seleções do continente-berço da humanidade apresentem campanhas tão pífias.

Existe uma forte ameaça de que, pela primeira vez desde a Copa de 1986, nenhuma seleção africana passe da 1ª fase.

Com o sucesso estrondoso da Seleção de Camarões em 1990, o mundo passou a ter mais respeito com o futebol africano.

Fora de campo, o continente também força politica perante a FIFA ao conseguir 5 vagas para a Copa do Mundo.

Em tese, a Copa de 2010 sediada na África do Sul era pra representar a consolidação do continente como uma nova potência do futebol. No entanto não é o que acontece. E olhe que o continente africano está sendo representado pela sua nata futebolística, a exceção talvez de uma seleção do Egito ou de Marrocos em lugar da fraca Argélia.

Camarões p.ex., depois de 1990 nunca mais teve destaque, sempre rodou na 1ª fase com campanhas pífias e só venceu em Copas do Mundo 1 jogo em 2002, contra a fraquíssima seleção da Arábia Saudita. É a típica seleção que só vive do passado. Ontem foi eliminada por pura incompetência e individualismo de seus jogadores.

A Nigéria surgiu como potência emergente após a campanha de 1994 e a conquista dos Jogos Olímpicos de 1996. Porém não evoluiu mais. Teve a façanha de perder para a fraca e chata seleção grega e ter que depender da boa vontade da seleção argentina se quiser se classificar.

A África do Sul por sua vez, fez questão de se tornar a primeira seleção anfitriã a ser eliminada na 1ª fase. Ou vocês acham que é possível alguma seleção que quer levar o futebol a sério contratar picaretas do naipe de Carlos Alberto Parreira ou Joel Santana?

Gana ontem tinha a faca e o queijo para classificar-se, mas conseguiu a façanha de empatar com a fraca seleção australiana e essa jogou cerca de 70 min com 1 jogador a menos. Vai enfrentar a seleção alemã, o que já é uma enorme desvantagem, mesmo só dependendo de suas próprias forças.

Costa do Marfim era teoricamente a seleção mais bem preparada, mas caiu em um dos Grupos da Morte e não teve força para pelo menos arrancar um empate contra a camisa da seleção da cbf. E hoje a seleção portuguesa tratou de dar um tiro de misericórdia nas pretensões remotas da seleção de Drogba.

Ironicamente, a que aparenta ter um caminho menos complicado para se classificar as Oitavas é justamente a seleção mais fraca, a da Argélia. Basta vencer os EUA por uma diferença de 2 gols que eles passarão de fase, o que não é uma missão hercúlea.

Conforme podemos ver, fica a impressão de que o futebol africano parece ter retrocedido ao invés de evoluído, com seleções que vivem das pequenas glórias do passado e outras que parecem estar travadas no amadorismo.

O que se passa por lá?

Gustavo Lucena

PS: Vou falar sobre o ABC amanhã.

Photobucket

Um comentário:

Black Ace disse...

A Africanada como jogadores de futebol, são excelentes atletas.