sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

O esquema da moda...

4-2-3-1
Quem lia o blog sabe que eu tenho algum interesse em analises táticas, mesmo não tendo nenhuma pretensão em ser um especialista. 

Nos últimos tempos o esquema da moda era o 4-2-3-1, com variações defensivas que iam do retrancadíssimo 4-5-1-1, até mesmo o 4-3-3 antigo. O Real Madrid por exemplo, usa o 4-1-4-1, com Casemiro sendo esse único volante. Esquema que diga-se de passagem, vem fazendo a fama do Adenor Bach, o Tite da Seleção brasileira. 

O fato é que uma tendência vem crescendo na Europa, e é um velho conhecido do futebol brasileiro. Primeiro foi criado na Europa para parar o futebol brasileiro na década de 1950/60, depois foi virou mania mundial nos anos 2000 e virou sinônimo de retranca no Brasil. É isso mesmo, o 3-5-2 está de volta e pode virar febre no Brasil também. 

4-1-4-1
Esse retorno veio marcado quando a Juventus/ITA contratou Antônio Conte. Lá Conte aos poucos, de 2011 a 14, reconduziu a Juve aos títulos nacionais e doutrinou o futebol local passando a Juve do 4-1-4-1 para o 3-1-4-1 sendo esse um o grande Pirlo. Com o sucesso no clube não demorou para ele ir a Azzura, onde também aplicou essa formação com três zagueiros e comandou a equipe na Eurocopa de 2016 onde fez uma renovação no elenco e atingiu as quartas de final do torneio sendo eliminada pela Alemanha. 

Pois bem, hoje Conte é treinador do Chelsea, líder do campeonato inglês com excelente vantagem para o segundo colocado e classificado para a segunda fase da Champions League. Depois de um início turbulento no time inglês, Conte acertou a equipe quando postou o time com três zagueiros. Algumas outras equipes, como o Manchester United, Manchester City e outros, também começam a ir por esse caminho o que reforça uma tendência mundial.

3-5-2
O problema é que no Brasil ao invés de um Pirlo ser o “volante”, cabeças de bagre começam a surgir de onde nunca surgiram. Laterais que deveriam ser alas continuam laterais. Armadores jogando atrás da linha de meio campo e dois ou três heróis tentando jogar algum futebol. 

Como dizia o poeta, “Eu vejo o futuro repetir o passado”, uma geração de volantes reduziu o futebol Brasileiro em algo como o que vemos agora fundamentado em nas bases do 3-5-2. Mas eu tenho esperança que além da fotografia dos 3 zagueiros, os treinadores adotem ideias mais ofensivas, porque ninguém aguentará mais uma temporada com uma linha como esta:

Paulo Musse(G); Márcio Santos(Z), Paulo César(Z) e Ben-Hur(Z); Bosco(LD), Adelmo(V), Jean (V), Éder(M) e Alysson(LE); Valdir Papel(A) e Vinícius(A). Técnico: Ferdinando Teixeira.

3 comentários:

hjkhjk disse...

nm,nm,

Breno Cardoso disse...

Walter é uma "Minhoca" mesmo

Emerson Gang disse...

Agora o ABC vaiii #Vamos subir BC!!!!