sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Torcer sem ilusões


Gente, vamos pro jogo, vamos apoiar o time, mas vamos deixar de ilusões. 

Esqueçam os times de 2006 e 2007 que, por mais limitado que fossem, tinham muito mais brio e sangue nos olhos, coisa que essas moscas mortas tuteladas por Rogério Marinho/Alex Fabiano/Roberto Fonseca não possuem.

Vejam o caso de Zé Mario, que o pessoal aqui quis logo colocar no pedestal de ídolo, já está machucado e talvez nem volte mais. Se fosse um atleta que respeitasse o Mais Querido, estaria aqui em Natal, fazendo 24 horas de fisioterapia pra tentar jogar o clássico no sacrifício e, caso os médicos vetassem, ele choraria.


A gestão Rogério Marinho vem sendo pródiga em apagar do ABC as suas características mais marcantes: um time popular, com uma torcida apaixonada empurrando um time de guerreiros e operários formados basicamente por atletas que um dia estavam jogando nas peladas da Cidade da Esperança e que trabalhavam de cobrador de ônibus. A Frasqueira com razão está acuada, desunida, revoltada e desmotivada graças a gente como Rogério Marinho, que não sabe o que é o ABC FC, que tenta transforma-lo num clube de gente rica e mimada como ele.

Do ABC que conhecemos e aprendemos a amar, hoje só resta a camisa. E é somente pela camisa que a Frasqueira tem que ir pro campo (por falar nisso, por onde anda aquela faixa "viemos pela camisa"? Seria o momento mais oportuno para utilizar).

É preciso torcer furiosamente pelo ABC contra o américa, pra ver se as camisas fazem algum milagre divino.Torcer com fúria, cobrando desses burocratas uma postura digna. A torcida tem que intimidar os burocratas a saírem do tédio.

É torcer cobrando, mostrando garra, forçando esses burocratas a conseguirem a vitória.

Gustavo Lucena

Um comentário:

Fernando disse...

Gustavo em relação a Rogério marinho o que você escreve ta perfeito. Só que em relação a Zé Mário o amigo procure se informar melhor para não cometer injustiça e se igualar à imprensa convencional. O rapaz vai ser OPERADO.