quarta-feira, 11 de junho de 2014

Amanhã tem Copa do Mundo, bebê - meus pitacos

Enfim, vamos ter Copa do Mundo sim senhor.

E mesmo diante de tantos problemas, contratempos e injustiças, vai ser um evento espetacular.

Os jogadores das 32 seleções não têm culpa alguma do que aconteceu na gestação do evento.

Aliás, o que estamos vendo é que há uma boa sintonia entre os atletas e os cidadãos brasileiros, há um clima bem irreverente e humorado.

Deixando esses detalhes de lado, vamos ao que interessa, já que sou um escriba e o Diego Ivan me deu esse generoso espaço pra contar minhas lorotas, vou dar pitacos do que espero dentro de campo.

A principal favorita é a seleção brasileira, principalmente por conta do fator torcida, que vai sim fazer a diferença e empurrar um elenco que nem é o melhor no papel e que depende basicamente da atuação de Neymar. A sorte também parece estar ao favor do escrete canarinho, já que os atletas ainda não foram vitimadas pelo boom de lesões e contusões decorrentes de um calendário estressante, inchado e mal-feito (acreditem amigos, não é só no Brasil que o calendário é uma aberração) vem causando à concorrência.

Das demais favoritas, a que me parece a mais preparada é a Itália que, além de apresentar um futebol competitivo e interessante, parece viver um clima interno muito bom e positivo, já que o seu treinador afrouxou o famigerado sistema de concentração e permitiu que os atletas ficassem próximos de seus familiares, o que é muito bom, ainda mais quando se sabe que enfrentará um grupo fortíssimo, onde até mesmo uma eliminação precoce não está descartada para Azurra.

A seleção alemã evidentemente vem forte, no papel tem o melhor elenco, mas além do grupo difícil que enfrentará, terá que apagar a imagem de time que falha na reta de chegada, como aconteceu nas Copas de 2006 e 2010 e na Eurocopa de 2008.

Também vejo como grande força a Holanda comandada por Van Persie, Sneijder e Robben. Acho até que ela é a grande favorita do seu grupo, mesmo tendo ao seu lado a campeã Espanha.

A atual campeã Espanha, em minha ótica, enfraqueceu, apresentou um futebol abaixo da média na Copa das Confederações e, sejamos sensatos, a exceção talvez do Iniesta, não tem um jogador tão assim acima da média. Pode até ser campeã outra vez, mas não vejo nela esse favoritismo todo.

Das favoritas, a que vejo com menor potencial é a Argentina, que vive uma situação similar a do Brasil, possui um elenco um tanto modesto que depende de seu craque Messi. A sorte deles é que vai jogar boa parte de suas partidas no Eixo Centro-Sul e certamente contará com sua apaixonada torcida.

Em  resumo, a minha ordem de favoritos é essa: 1-Brasil, 2-Itália, 3-Alemanha, 4-Holanda, 5-Espanha e 6-Argentina.

Correm por fora a França - que pode até ir mais longe mesmo sem Ribery, pois pegou uma sequência de chaves que permite ir até as quartas-de-finais, Inglaterra - que mesmo tendo resmungado bastante e caído numa chave complicada tem time e uma certa tradição, Portugal e Bélgica.

Vislumbro como azarões Uruguai, México, Gana, Nigéria, Chile, Rússia, Coréia do Sul, Costa do Marfim e Japão. Qualquer um deles tem pleno potencial para superar a 1a fase e, no caso de Uruguai é possível até ir um pouquinho mais longe.

Os demais em minha modesta visão creio que farão mera figuração.

Ao final da Copa, veremos como me sai.

Ah sim, quem gosta de pitacos, bolões e simulações, recomendo o site do UOL, é o mais completo.

Gustavo Lucena

Nenhum comentário: