domingo, 7 de julho de 2013

O ABC não aprendeu a disputar a Série B

Após mais um vexame sofrido dentro de campo - onde na minha visão alçou o ABC a condição de virtual rebaixado, dado o quadro de total incapacidade de reação que o time apresenta - , mais uma tarde regada a muita chuva (ainda bem que levei o guarda-chuva), mais um show de autoritarismo da PM, que manda e desmanda no Frasqueirão em face da passividade da diretoria do clube, resolvi que só ia escrever algo depois de uma noite de sono.

Bem, resolvi então escrever algo que constatei na história do ABC na Série B na era dos pontos corridos. E constatei 2 fatos que sempre estão presentes, independente do resultado final do campeonato: a falta de um planejamento de verdade e o constante stress de ter que lidar com a ameaça do rebaixamento.

O ABC na Série B tem uma característica uniforme e marcante: o número exagerado  de contratações para a competição, a total liberdade dada aos treinadores para trazer seus peixes, empresários mandando e desmandando e a bola de neve das dívidas só crescendo e levando o clube a falência e a estagnação.

Mesmo que a cota da Série B seja baixa, se comparado com outros concorrentes, a gente ver que é suficiente para trazer um caminhão de jogadores de péssima qualidade ganhando salários de 5 dígitos.

Já disse aqui que tenho a impressão de que na Série C os times formados eram mais competitivos que os formados para a Série B. Na Série C a grana é curta e os gastos costumavam ser mais racionais.

Ou seja, o ABC fica parecendo aquele adolescente que ganhava uma mesada  de R$ 500,00 mensais, porém quando passou a ganhar R$ 50.000,00 mensais, não soube o que fazer com o dinheiro e passou a gastá-lo de maneira pródiga e irresponsável.

E todo esse descontrole e falta de planejamento vem resultando nisso que estamos vendo: dívidas se acumulando, o ABC perdendo causas na justiça do trabalho, patrimônio físico sendo retalhado e o grande risco de perder a sede social para pagar os prejuízos.

Além disso, a falta de planejamento desagua nas campanhas desesperadas contra o rebaixamento. Em nenhum momento dessa nova Série B o ABC brigou para subir ou ficou em zona de conforto. Até com o comendador Leandro Campos o ABC esteve na beira de cair, sempre escapando na última rodada.

Ou seja, diante desses dois fatos marcantes -  falta de planejamento e eterna luta pra não cair - fica constatado que o ABC não aprendeu a lição, não aprendeu a disputar a Série B e mais uma vez deverá ser punido com o rebaixamento.

E toda essa salada de marasmo vem afastando a Frasqueira, que se cansou desse modelo de gestão desregrado e perdedor. 

Gustavo Lucena

Nenhum comentário: