sexta-feira, 1 de março de 2013

Parabéns FNF. Potiguar 2013 é o maior do Nordeste

A FNF está realizando o maior Estadual do Nordeste. Isso no critério de datas utilizadas, já que a péssima fórmula da competição fez com que a fase preliminar tivesse uma média de apenas 700 pagantes/jogo. A supremacia de datas pode ser percebida facilmente, é o que mostra um levantamento feito por esse escriba.

Foram analisadas tabelas e regulamentos de oito Campeonatos Estaduais da região Nordeste – não foi possível colher informações do Maranhense 2013 – e chega-se a conclusão que, ao lado do Cearense, o Potiguar 2013 são os mais longos desta região (veja quadro ao lado). São 34 datas para se conhecer os campões norte-rio-grandense e cearense. A CBF disponibiliza 23 em calendário.

Entre os estados que disputam a Copa do Nordeste, Alagoas (28 datas), Pernambuco (23) e Bahia (18) mostraram que mesmo com a realização da competição regional paralela ao estaduais é possível realizar uma estadual que não invada de forma agressiva o calendário nacional, para tanto precisa-se de uma pouco de criatividade que não é o forte da FNF.

Um campeonato com 34 datas (quase um Brasileirão!!!) torna-se nada atrativo, já que os jogos não tem caráter de decisão. Outro grande problema é que a grande quantidade de jogos em curto espaço de tempo pode prejudica sobremaneira a parte física dos atletas. Nessa 1ª fase – que inclui ABC e América – uma equipe pode fazer 20 jogos em 75 dias, média de um jogo a cada 3,7 dias (no Brasileirão 12 esse índice foi de 5,2).

Fazer um campeonato que não possa prejudicar o calendário da CBF e muito menos a condição física dos atletas é missão impossível para moderna administração de José Vanildo. Quantos jogadores “estourados” na série B teremos?

MAIS SOBRE O ASSUNTO:
Acessem:

3 comentários:

Gustavo Lucena disse...

A FNF foi jenial desta vez.

Primeiramente porque fez um regulamento em que 2 clubes jé encerraram as atividades em 2013.

Segundo
porque fez um calendário sufocante tanto para torcedores como para
jogadores, com muitos jogos nas quartas-feiras, em que a tendência é de
públicos ainda mais ridículos.

Terceiro pela sacanagem com a tabela do ABC, onde colocou apenas 4 jogos no Frasqueirão aos domingos. Se a Frasqueira, que é o trem pagador do Estadual, já encontra dificuldades das mais diversas para ir ao Frasqueirão, imagina nas quartas à noite.

FNF poderia ter feito uma tabela usando apenas os domingos, que ainda assim daria pra fazer um campeonato enxuto e rentável.

Considerando que a exceção de ABC e do América, os demais clubes estariam plenamente aptos a encararem a pré-temporada em dezembro e começar a temporada logo no começo de janeiro. Ou seja, daria pra começar o Estadual no 1o domingo do ano (06/01). Até a data-limite do encerramento dos Estadual, 19/5, temos 20 domingos disponíveis.

Daria pra organizar um Estadual com a seguinte fórmula:

1a Fase: 2 grupos com 4 clubes cada, jogando em turno e returno em cada grupo, totalizando 6 datas. Os 2 primeiros colocados em cada grupo se juntariam a ABC e América na 2a Fase. Os 2 vencedores de cada grupo disputariam a vaga na Copa do Brasil 2013 em aberto (jogo único). Os 4 clubes eliminados grupo disputariam uma repescagem.

2a Fase: Grupo único com 6 clubes, jogando em turno e returno, totalizando 10 datas. Ao final da fase, os 2 primeiros colocados seriam os representantes do RN na Copa do NE, da Copa do Brasil e se classificariam para a final. O 3o colocado disputaria a vaga remanescente da Copa do Brasil com o vencedor da repescagem.

Repescagem: disputado pelos 4 clubes eliminados na 1a fase, jogariam em turno e returno, totalizando 6 datas. O último colocado seria o rebaixado, e o vencedor disputaria com o 3o colocado da 2a fase uma das vagas na Copa do Brasil 2014.

Final: disputada entre o 1o e o 2o colocados da 2a Fase em 2 jogos.

Pela minha tabela, o Estadual consumiria apenas 18 datas, que poderia ser encaixada utilizando apenas os domingos.

João Maria disse...

A FNF é GENIAL!

Gustavo Lucena disse...

O "jenial" foi inscrito de maneira proposital mesmo. Deveria ter colocado as aspas justamente para destacar a expressão.