sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Eternamente José Vanildo

Fiquei surpreso com a notícia veiculada pela imprensa local de que o presidente da FNF, José Vanildo, teve seu mandato prorrogado e ficará a frente da entidade até 2019. Ao contrário do que parte da imprensa proclama o melhor para o futebol do Rio Grande do Norte seria a mudança de presidente no início de 2013.

Contudo, é inegável que durante a gestão de José Vanildo o nosso fraco e desorganizado futebol teve avanços significativos. A Federação se estruturou, saindo de uma situação de caos. O campeonato Potiguar já é visto como um produto. Porém os avanças ainda são insuficientes.

Exemplo maior dessa forma desorganizada de se administrar o nosso futebol foi os vários erros grotescos presentes no Potiguar 2012 (veja em “Os sete erros de José Vanildo”). Soma-se a isso o fato dos calendário de futebol local se resumir ao Campeonato Estadual. O segundo semestre dos clubes do interior é motivo de desespero para o seus dirigentes.

Outro ponto curioso em toda essa forma peculiar de se administrar estabelecida pelo mandatário da “casa da bola” é como o mesmo conduz a política interna e a relação com a CBF e demais entidade. Parceiro de primeira linha do trio Teixeirão/Marín/Del Nero – embora tenha anunciado em outro momento apoio crítico ao atual assessor especial da CBF, Dr. Ricardo Teixeira – ele tem-se mostrado aprendiz dos medalhões, fruto desse aprendizado foi a forma obscura de se fazer a prorrogação de mandato, ocorrido agora.  Nunca é bom para uma entidade que o presidente se perpetue no cargo.

A administração do ambicioso e incompetente José Vanildo tem sido objeto de elogios hiperbólicos por parte da imprensa esportiva local, mais pelo que os seus antecessores fizeram (ou deixaram de fazer). A Federação melhorou bastante, porém é insofismável que ainda está muito atrasada no processo de profissionalização do futebol. E avanças só vem com mudanças.

5 comentários:

Diego Ivan disse...

É o que comentei sobre o texto de Gustavo Lucena... Senão ele, quem então? Não tem, esse é o problema.

Diego Ivan disse...

É o que eu disse no texto do Gustavo Lucena... Senão ele, quem então? Esse é o problema, não há ninguém na militância esportiva potiguar disposto a encarar essa empreitada.

diegoivan1982 disse...

correção (Se não)

Marcelo Silva disse...

Confesso que quando estava escrevendo pensei nisso, mas não afasta a parte negativa.

Diego Ivan disse...

É verdade, não afasta.