quarta-feira, 4 de julho de 2012

Nem o ABC, nem Rubens Guilherme podem ficar reféns de peladeiros

Pelo que vem sendo divulgado na imprensa, há indícios que a demissão de Márcio Goiano foi motivada por uma ameaça de que os jogadores fariam corpo mole no jogo contra o Vitória e com isso o treinador seria demitido após um provável vexame em pleno Frasqueirão.

Por isso, Rubens Guilherme acerta em demitir o treinador.

Porém, o problema não é só isso. 

Os jogadores insatisfeitos, em especial os cabeças do movimento, não podem de maneira alguma continuar vestindo a camisa do ABC FC.

O Presidente não pode ficar refém de peladeiros cuja qualidade técnica não os autorizam a se assenhorar dos destinos do time.

É um filme que se repete pela segunda vez na gestão Rubens Guilherme. Ano passado, os jogadores aprontaram naqueles 0x5 sofridos pelo fraco Bragantino para derrubar Guto Ferreira. O saldo da história foi o retorno de Leandro Campos, jogadores medianos como Pio mandando e desmandando no time, pernas-de-pau como Marcus Vinícius, Alessandro Lopes, Geilson, Eliandro, Esdras,etc. sendo prestigiados pelo treinador, geladeira para jogadores que buscavam um lugar ao sol como Erivelton, Felipe Alves e Rômulo e um 10º lugar na tábua de classificação quando todos nós sabíamos que o ABC tinha potencial para subir.

Seguramente, boa parte do elenco, em especial aqueles que estão afastados por deficiência técnica, devem sonhar com a volta de Leandro Campos, o protetor dos pernas-de-pau.
Se não houver assepsia no elenco, podem ter certeza que o próximo treinador que vier ficará refém dos jogadores, sob pena de ser demitido.

Estou com o presidente Rubens Guilherme para o que der e vier. Porém, acho que ele precisa tomar o controle do time, mostrar que quem manda é ele. Se continuar do jeito de que está, o ABC dificilmente escapará do rebaixamento.

Gustavo Lucena

2 comentários:

cleibersupervisor disse...

tambem concordo com o blog e o presidente, mas a culpa nao e so do tecnico, tem que limpar este elenco agora.

Anônimo disse...

Concordo contigo em cada palavra.