sábado, 31 de março de 2012

Cadê o ataque?

Essa minha postagem é mais um complemento as "rapidinhas" do Diego Ivan.

Se tem algo que está me incomodando e muito é a inoperância do ataque alvinegro, que cada vez mais se confirma como o setor mais carente desta 1ª fase da temporada.

Além da economia na hora de fazer os gols, falta objetividade.

A sorte (Abro um parênteses para dizer que esta palavra está proibida de ser pronunciada por determinação de uns 2 ou 3 bundões baba-ovo de orkut e por conta de alguns setores da imprensa local. Esses "superABCdistas" tratam logo de desqualificar quem ousa criticar o trabalho do treinador, que querem impor uma ditadura do pensamento único na internet. Feito o desabafo, fecho parênteses) do ABC é que os outros setores estão funcionando muito bem e os gols tem saído dos pés dos alas, meias e zagueiros. É mais fácil Camilo fazer gols do que os atacantes do clube. Aliada a essa eficiência, conte-se ainda a fragilidade dos adversários. Quarta-feira passada o Potiguar-M foi digno de pena, mesmo o ABC tendo passado maior parte do tempo desinteressado no jogo, o time príncipe não mostrou qualquer capacidade ofensiva, qualquer gana para vencer.

Analisando cada atacante, constato o seguinte:

Washington tem sido a grande decepção, é o jogador mais caro, porém passa maior parte se escondendo no jogo, e não demonstra tanta habilidade com os pés.

Adriano Pardal parece ser um Carlinhos Cai-Cai melhorado, com mais técnica, porém carece de objetividade.

O ABC tinha Felipe Alves no banco, era bem promissor, mas a atual política do clube parece ser a de não valorizar a prata-da-casa e com isso o jogador foi emprestado.

Paulista ainda é uma incógnita.

O único que vem se salvando é Léo Gamalho, que demonstra muita força de vontade e alguma habilidade, porém é lento. Com Washington ele não se encaixa de jeito nenhum, só na cabeça de Leandro Campos que tal sintonia existe.

Além disso, falta o meia-atacante para substituir Cascata, o ABC precisa desse tipo de jogador, pois Raul é um meia armador mais recuado, não tem a função para chegar junto ao ataque.

Para a Série B o ABC precisará e muito de novos atacantes. Ou dos velhos, pois especulam-se os retornos de Leandrão, Lins e Elionar Bombinha.

Gustavo Lucena

Nenhum comentário: