segunda-feira, 19 de setembro de 2011

A briga é pelo poder, o voto direto é só um detalhe


O final de 2009 e o início de 2010 foi um período difícil no ABC Futebol Clube. O time rebaixado no Brasileirão e uma mudança no estatuto desnecessariamente apressada naquele momento. Lembro que naquele período, fui a algumas reuniões do Conselho mesmo sem ser Conselheiro, já que eu estava ultra preocupado. As vi da porta para fora do Auditoria Ernani Alves da Silveira, já que somente Conselheiros podem participar destas reuniões.

 O sistema eleitoral Alvinegro começou a ser discutido ali. Ou seja, o voto direto do Sócio Torcedor para eleição do Presidente do Clube foi assunto em 2009. Já naquela época, havia resistência de conselheiros. Me lembro que um conselheiro esbravejava, conhecido advogado na cidade, que dizia que o conselho não poderia permitir que o “sócio comum” decidisse os rumos do ABC. Foi uma discussão acalorada naquela época.

É evidente que a definição de como o Sócio participará na próxima eleição só saiu semana passada, mas fica claro que o conselho do ABC desde aquela época não quer perder poder.

Ficou decidido semana passada que os Sócios elegem os Conselheiros que elegem o Presidente, não alterando o que já estava posto no estatuto anterior. E se a eleição do Conselho Deliberativo ocorrer como a de 2009, onde os votos dos sócios não são nem apurados, a participação do Sócio Torcedor permanece sem sentido, deixando tudo nas mãos de Conselheiros que montaram e montarão a lista de conselheiros que escolherão o novo Presidente do Clube. É assim que funcionava e é assim que eles mantiveram o processo.

Essa situação é tão deprimente que o conselheiro e ex-Vice Presidente do ABC, o médico Fernando Suassuna, foi “esquecido” na chapa única formada em 2009. Mas coincidentemente não esqueceram a prefeita Micarla de Souza por exemplo.   

A verdade é que o Conselho Deliberativo do ABC não irá nunca abrir mão do poder que tem, apesar do retrocesso que a não participação do Sócio Torcedor no processo eleitoral do ABC significa. Eles querem é o poder da barganha, é o jogo político, mesmo que numa esfera reduzidíssima. A Presidência e a Direção do Clube entraram de gaiato nessa historia, até por que se Rubens Guilherme se candidatar a qualquer coisa no ABC ele ganha, principalmente pelo voto do Sócio ABCdista. Esse movimento retrogrado é do Conselho, e somente dele. 

Estou refletindo a minha permanência como sócio do ABC, já que entre outros motivos, eleger o novo presidente do ABC foi o que mais pesou quando fiz minha adesão ao sócio em 2007. E se pensarmos nas fraquíssimas opções que o programa Sócio Mais Querido oferece, ai sim  é para desistir mesmo. 

2 comentários:

Gibson Azevedo disse...

Diego, estou te falando agora, da altura da experiencia dos meus quase sessenta anos. Posso afirmar com segurança, sem medo de errar: assim como um cachorro não larga o osso que está comendo, um homem não larga o Poder, por mais fictício que este possa nos parecer.
Então!...

Diego Ivan disse...

Eu sei, e é exatamente a intensão deste texto, principalmente por que tem gente acusando a tudo e a todos indiscriminadamente. A verdade é o que relatei e você bem completou.