sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Drops do ABC e do futebol do RN (19/08/2011)

Não sobrou pedra sobre pedra

A primeira impressão é que o treinador Guto Ferreira foi implacável com os protegidos de Leandro Campos.

Marcos Vinícius, que foi sacado com 20 minutos no confronto passado, não foi nem relacionado.

Alessandro Lopes foi para a reserva, mas ainda levou uma colher de chá do treinador, pois Leonardo - que vem atuando muito bem nesta Série B - ficou de fora.

A saída de Pio foi a mais brusca, pois entendo eu que ele é muito útil ao ABC jogando como volante. Deveria ter pelo menos ficado no banco.

Jogo complicadíssimo, obrigação de vencer

Nos planos originais, o confronto contra a Ponte Preta deveria ser daqueles em que a Frasqueira já não deveria esperar os 3 pontos, dada a força e tradição do adversário.

Porém, com os tropeços em jogos teoricamente mais fáceis, aumentou a pressão e o time tem a obrigação de vencer ou vencer.

Do time campineiro, merecem atenção especial Ricardo de Jesus e Ricardinho (sim, aquele mesmo que se destacou no ABC e que foi oferecido no início do ano após a saída de João Paulo, mas que teve a contratação recusada).

Uma esmola, pelo amor de Deus

Os estádios Nogueirão e Marizão se tornaram verdadeiros lixões, tamanho o descaso de seus administradores, ou seja, a prefeitura de Mossoró e o governo do RN.

Ao invés de botarem a cabeça e a criatividade para funcionarem, os dirigentes dos clubes interessados - Coríntians, Potiguar-M, Baraúnas e Caicó - ficam chorando pitangas, pedindo esmolas aos governantes de plantão, ameaçando abandonar o Estadual, etc.

Os clubes do RN já deviam saber que não podem contar com o Poder Público para suas empreitadas. O ABC mesmo sentiu na pele ao levar 2 calotes de patrocínios da Prefeitura em 2009 e 2010.

Tivessem o mínimo de criatividade, torcedores, conselheiros e dirigentes desses clubes já teriam se juntado para tomarem para si a gestão desses estádios e fazerem reformas a toque de caixa para pelo menos permitir a abertura das praças esportivas.

Porém, os clubes do RN preferem fazer voto de pobreza.

A Copa de 2014 e os "jênios" da raça

Cada vez mais Natal fica longe de sediar a Copa de 2014, por mais que os políticos do RN digam o contrário.

A PMN tá cheia de dívidas e a credibilidade da atual alcaide impede o aparecimento de alguém encorajado a investir na cidade.

O Governo do RN só faz dizer bravatas e não toma qualquer ação.

E o Governo Federal não demonstra boa vontade em liberar verbas e já mandou o BNDES ficar de sobreaviso para sustar o que já foi destinado.

Mesmo diante de quadro tão desfavorável, os responsáveis pela construção da Arena das Dunas ainda conseguem se superar.

Primeiro porque foi noticiado de que os bolsões de estacionamento não serão suficientes para atender a demanda.

Segundo porque o Estádio não mais será 100% coberto, o que vai contra as exigências da FIFA.

E terceiro porque noticia-se que as demolições do Machadão e do Machadinho não mais serão feitas por implosão, mas sim de maneira mecânica. Não entendo de quase nada de construção civil, mas algo me diz que o método mecânico, além de demorado, é mais oneroso.

Em resumo, os responsáveis pela Copa de 2014 são realmente uns jênios da raça.

Me pergunto o porquê deles estarem aqui no RN. O lugar deles é nas Universidades européias, em Harvard, recebendo prêmios Nobel e Lênin.

Gustavo Lucena

2 comentários:

Diego Ivan disse...

Vamos botar dois pingos nos is.

O Nogueirão pertence a Liga Desportiva Mossoroense.

O Marizão pertence ao Governo do Estado.

Dito isso, não tem o menor cabimento a Prefeitura de Mossoró ou o Governo do Estado investir dinheiro publico no estádio Nogueirão. Até já foi feito, mas o pessoal da Liga melou o negocio de olho na grana na epoca Rosalba.

Quanto ao Marizão, é claro o descaso do Governo do Estado, o ideal é que o Estadio fosse municipalizado, mas digo sem medo de errar, Caicó não tem a menor condição de bancar uma reforma no Marizão. A ultima reforma do Marizão foi em 1997.

Agora, o que tem que ficar claro é que Estado e Municipio não devem investir na iniciativa privada. A prefeitura de Mossoró já passou da hora de construir um Estádio Municipal.

Abraço!!!

Breno Cardoso disse...

Pois é, quanto ao marizão, o Estado tem que ajeitar, é sim ou sim, pois é papel dele manter o patrimônio público, o que o governo está fazendo com o Marizão em Caicó é um verdadeiro caso de improbidade administrativa, coisa que pode render consequências sérias para os gestores, no caso a governadora Rosalba, portanto, já está na hora de o governo se ligar.

Concordo que a prefeitura de mossoró já passou da hora de construir um estádio, pois Mossoró é uma cidade que já possui quase 300 mil habitantes, em grande desenvolvimento, possui várias escolas que poderão precisar de um estádio para realizar jogos, e alem disso possui 2 times de futebol lá que já foram campeões estaduais em tempos não muito distantes (potiguar 2004, baraunas 2006) e que de vez em quando dá trabalho ao ABC em estaduais.

Ainda bem que o ABC construiu o seu estádio próprio, porque se fosse confiar na prefeitura de natal ou no governo do estado para mandar os seus jogos, ESTAVA LASCADO, porque a prefeitura só quer saber em pintar toda a cidade de verde, e o estado de usar como desculpa a gestão anterior para justificar as suas falhas.

E hoje é dia de empurrarmos o ABC para mais uma vitória, hoje os 1 milhão de alvinegros vão empurrar o nosso time pra cima da ponte, eles podem ter até maior tradição em competições nacionais, estava na serie A até um dia desses, mas nós somos 1 milhão contra eles, nós temos mais torcida, e a frasqueira vai jogar junto com o time para ganharmos os 3 pontos #PraCimaDelesABC.