quarta-feira, 8 de junho de 2011

Desabastecimento na venda de uniformes causa crise no contrato ABC-Lupo

Acesso o Twitter hoje pela manhã e vejo que os cronistas Jorge Aldir, Dionisio Outeda e Edmo Sidenino estão repercutindo que existe um clima de insatisfação da torcida do ABC para com a Lupo, que não vem abastecendo o comércio varejista do RN (além da lojinha do ABC, diversas lojas - inclusive da própria Lupo - ficaram encarregadas de receber os produtos para venda) com uniformes e produtos do clube como deveria.

Poderia até achar que fosse uma crítica de ordem pessoal, afinal Jorge Aldir, o Gringo e a 98FM são patrocinadas pela ERK, que até o ano passado era a fornecedora do Mais Querido.

Porém a crítica dos cronistas ganha força e sentido ao ver que tem muita gente ligada a Direção do clube está chiando barbaridade.

Bruno Giovanni e Cláudio Porpino, falando em nome da facção alvinegra XXXXXG, protestaram porque não encontram no mercado uniformes com o número de seus manequins.

Alguns companheiros meus de arquibancada também reclamam.

Afinal, com todos os seus problemas e dificuldades, a ERK fazia um trabalho melhor e não deixava a Frasqueira na mão.

No 2o semestre de 2010 a ERK deu um show ao confeccionar o uniforme oficial mais bonito do ABC dos últimos tempos, todo em preto e branco, com os patrocinadores adaptando suas logomarcas ao pavilhão alvinegro. Algo raro em tempos que os uniformes dos clubes brasileiros estão horrorosos, as camisas viraram verdadeiros classificados ambulantes e o pior, pouco se lincham para os pavilhões dos clubes. Vivemos a era do laranja-vômito do Banco BMG, que prolifera em quase todos os clubes brasileiros que, coincidentemente, encontram-se com dívidas impagáveis. Se o Brasil tivesse uma legislação séria, todos os clubes-BMG teriam falência decretada e seriam rebaixados para a última divisão do futebol brasileiro.

A Lupo veio com a missão de manter o mesmo padrão que a ERK apresentou, principalmente em 2010. Porém o descaso dos paulistas é imenso, o que leva muita a gente a pedir com razão a rescisão contratual e a volta dos irmãos Eduardo e Gustavo.

Gustavo Lucena

4 comentários:

Renato disse...

Isso aconteceu em Recife com o Nautico, só que lá eles rescindiram no hora com a Luppo.

FOBINHO GUARANI disse...

Amigos do ABC, infelizmente esse problema é geral com a Lupo. Temos tido problema de distribuição, com as camisas oficiais do clube, por que outros produtos, como boné, agasalho e bolsa, nem pensar.
A Lupo demora muito para confeccionar e repor o estoque, e vai de pouco em pouco. A torcida do ABC, assim como a do Guarani, é grande e exigente. Infelizmente a Lupo, uma empresa desse porte, manda as camisas de nosso clubes serem feitas em fábricas de fundo de quintal, além de serem de péssima qualidade, não tem padrão...

Anônimo disse...

Os apaixonados por Flávio Anselmo não gostam do blog papo alvinegro, é por isso que vocês estão sofrendo ataques.

Não critiquem a Lupo.

Existem as viúvas de Flávio Anselmo também que choram a qualquer crítica feita. A solução é Gustavo comprar lenços para as viúvas de Flávio Anselmo ou então ficar elogiando todos os dias Flávio Anselmo.

Thiago Azevedo - Editor do VemA. disse...

Quem dera que o Náutico tivesse "rescindido no hora com a Luppo" como vc disse Renato. Como torcedor timbu e simpatizante ABCedista, rezo para que o ABC não deixe a frasqueira penar atras de camisas que só aparecerão na cidade de Natal quando a lupo não for mais a fabricante de material esportivo do "mais querido", de modo identico ao que ocorreu no Recife. Somente agora, meados pós-abril de 2011, quando o Náutico tem como fornecedor a Penalty (desde janeiro de 2011) que as camisas lupo estão nas lojas, boiando em burras promoções.