quarta-feira, 2 de março de 2011

Cbf perdeu sua razão de existir. Deveria ser prontamente extinta.

Essa semana a cbf - juntamente com a Federação Paulista de Futebol, os ex-árbitros Edilson Pereira de Carvalho, Paulo José Danelon e o empresário Nagib Fayad - foi responsabilizada e condenada em sede de ação civil pública pelo fagimerado esquema da Máfia do Apito, que aconteceu no Camp. Brasileiro de 2005, sendo obrigando a depositar no Fundo Especial de Despesa de Reparação de Interesses Difusos Lesados um montante de R$ 160.000.000,00 (cento e sessenta milhões de reais).

A íntegra da sentença condenatória você encontra aqui.

Pouco importa o que acontecerá no futuro, afinal, nas instâncias superiores, geralmente "tudo se resolve".

O que realmente importa é que tal sentença escancarou e desmascarou de vez a falta de compromisso da cbf com o futebol.

O corajoso Juiz José Paulo Camargo Mariano ousou na elaboração da sentença e mostrou as vísceras da tese de defesa da entidade que teoricamente deveria organizar o futebol brasileiro.

Merecem destaque os seguintes trechos:

"CBF foi citada e apresentou contestação, aduzindo, preliminarmente, impertinência subjetiva da demanda quanto a ela, e ao MPE, no mérito, afirma não estar entre suas finalidades “organizar campeonatos e jogos de futebol”, ausência de culpa in eligendo e in vigilando decorrentes do art. 932, II do CC, pois os árbitros não lhe prestam serviço nem são por ela remunerados, sendo, ademais, os mesmos indicados pelas federações regionais e escolhidos por sorteio. Também afirma que: não participa das receitas de jogos de quaisquer competições, o futebol é o ópio do povo, o demandante pretende dar uma importância ao esporte que o mesmo não tem, a fraude nos jogos não dá lugar a danos morais, eventual condenação implicará em sua insolvência e desfiliação da FIFA (fls. 641/733)".

"Em parte da contestação, a CBF afirma que “medidas como a presente ação, que querem emprestar ao futebol uma dimensão que um esporte não tem nem pode ter, contribuem para a desinformação do povo, já de si mal aparelhado intelectualmente, sabendo-se que, segundo o IBGE, no Brasil cerca de 70% (setenta por cento) da população é formada por analfabetos funcionais, ou seja, pessoas incapazes de entender o que lêem”.

"Cabe uma última consideração tocante às alegações da CBF. Em trecho que fala de 'obviedades' (fls. 660), diz que pode vir a ser desfiliada da FIFA no caso de existência ou procedência da demanda, citando situação que teria ocorrido com a Federação Grega de Futebol ".

Com isso, fica exposto o real pensamento da cbf com relação ao futebol brasileiro.

E por isso ela perde totalmente a razão de existir, afinal como é que uma confederação tem a incumbência de organizar um determinado esporte que ela despreza profundamente.

Se o Brasil a partir de hoje resolvesse se tornar uma nação séria, aconteceria o seguinte:

1º) Os clubes a partir de hoje não mais liberariam seus atletas para atuar na seleção da cbf enquanto esta entidade continuasse a controlar o futebol;

2º) Comissão técnica pediria integralmente demissão. E ninguém mais aceitaria treinar a seleção da cbf.

3º) Jogadores recusariam convocações por não aceitarem defender uma entidade que despreza o futebol.

4º) O Min. Público Federal entraria com um pedido de intervenção na entidade, tirando o Ricardo Teixeira na marra;

5º) A Presidenta Dilma Rousseff demitiria o Dr. Orlando Silva do Ministério dos Esportes, já que ele vem sendo totalmente omisso para com os demandos da cbf, que praticamente o tem como um boneco de ventríloquo;

6º) O novo Ministro dos Esportes chamaria para o governo federal o dever de fomentar o futebol brasileiro, principalmente o amador;

7º) O governo federal baixaria uma Portaria de que a União, os Estados e Municípios assumiriam integralmente os lucros da Copa de 2014, daria uma banana para FIFA e que se dane, pois é o Poder Público que está bancando a brincadeira conforme parecer do TCU. Se Blatter e cia. quiserem mudar a sede, entra com um processo contra a FIFA para ressarcir o que foi gasto;

8º) Seria decretada a extinção da cbf, haja vista que ela mesmo se negou a fomentar o futebol brasileiro. A Seleção Brasileira seria controlada pelo Min. dos Esportes e a organização das competições caberiam aos próprios clubes. Os direitos de transmissão dos jogos seriam repartidos entre todas as emissoras e os jogos noturnos só poderiam começar até no máximo 20 :30hs;

9º) Duvido que a FIFA iria desfiliaria o país que mais vezes venceu a Copa do Mundo e que é considerado referência histórica do futebol. Com certeza haveria uma pressão não só da imprensa mundial como também de quase todos os países que possuem federações filiadas a entidade maior do futebol. Ou seja, haveria uma imensa pressão para evitar a desfiliação.

Enfim na minha visão é uma situação insustentável. Não dar mais para aceitar que os destinos do futebol brasileiro seja decidido por uma entidade que não tá nem aí para o esporte.

Os homens de bem que dirigem clubes (alô diretoria do ABC FC) e federações estaduais (alô Dr. José Vanildo) precisam se indignar e ajudar a difundir o descaso da cbf para o esporte.

Gustavo Lucena

2 comentários:

Vicente Prudêncio disse...

E o pior é que a Globo tá juntinha na parada... Eu cortei a Globo aqui em casa... É proibido ver futebol, novela, BBB e toda a putaria da Globo...

Diga não à Globo, diga não à CBF!!!!

Anônimo disse...

Tenho dito... Se os 16 "PRESIDENTES" das federações de futebol das "REGIÕES do NORTE/NORDESTE". Quiserem ACABAR com essa "FARRA" dessa BANDALHEIRA DE CORRUPTOS que estão na "CBF" a mais de 20 ANOS, Eles dariam um "BASTA" nesses canalhas. É SÓ QUERER !!!!

* AS FEDERAÇÕES DE FUTEBOL CRIAVA A "LIGA DE FUTEBOL DO NORTE/NORDESTE".
* FAZIA UM "FORUM DE DEBATE" JUNTAMNETE COM A IMPRENSA, JORNAIS, TELEVISÕES E TORCEDORES. PARA DISCUTIR OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DAS; 16 FEDERAÇÕES, DOS CLUBES DAS DUAS REGIÕES.
* FECHAVA-SE UM "ACORDO" SÉRIO ENTRE AS REGIÕES, ELEGERIAM O PROXIMO "PRESIDENTE E VICE-PRESIDENTE" DA MADRASTA C.B.F.... E EM SEGUIDA MUDAVAM AS REGRA SUJAS QUE ESTÃO ATUALMENTE COMANDANDO O FUTEBOL BRASILEIRO.