segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Calendário de Competições do Futebol Brasileiro - Parte 4: Campeonatos Estaduais e Regionais

Na semana que passou alguns Campeonatos Estaduais foram iniciados.

O campeonato do RN só começará no fim de janeiro, o que é bom para o ABC FC, que ganhou uma pré-temporada de qualidade, afinal 2010 inesperadamente foi uma temporada de agenda cheia, graças a competência dos comandados de Leandro Campos, que nos proporcionou um calendário até o dia 1º de dezembro. Ou seja, tempo suficiente para as férias de 30 dias e um preparação de mais de 20 dias.

Mesmo assim, os Estaduais precisam ser reformatados. Muitas críticas pipocam por parte dos principais clubes do país, que sempre se queixam da pré-temporada curta e mal-feita.

No entanto, não sou burro e radical para advogar a extinção dos mesmos, como acontece na grande mídia.

Os Estaduais em muitos casos são a célula de sobrevivência da maioria dos clubes.

Para o ABC FC, mesmo após ter "rompido a corrente" e conquistado um Campeonato Brasileiro, o Estadual é uma espécie de porto seguro, a oportunidade real de conquistar um título ano após ano e com isso manter uma hegemonia que lhe garante o status de ser uma força regional, bem como ter uma torcida grandiosa.

Mesmo assim, mudanças são necessárias porque os Estaduais são deficitários financeiramente.

Sugiro 2 possíveis mudanças que poderiam ocorrer:

1) Estaduais poderiam ser jogados no meio de semana, nas mesmas datas da Taça Libertadores/Copa Sul-Americana (haveria um redimensionamento das datas, com as competições sendo disputadas paralelamente e em 2 semestres). Com isso, tanto a pré-temporada seria aumentada, como os próprios Estaduais poderiam ser ao mesmo tempo enxugados (só haveria 1 rodada por semana) e alongados até metade do ano.

2) Estaduais seriam disputados aos domingos, paralelamente ao Camp. Brasileiro. Apenas clubes não inseridos nas Séries A, B e C (caso esta venha a adotar o sistema de pontos corridos) disputariam os Estaduais nesse primeiro momento. Nas fases finais os clubes das divisões principais entrariam na disputa, propiciando um maior retorno financeiro, já que normalmente tais clubes são detentores de grandes torcidas que sempre se empolgam com jogos pra lá de decisivos.

Quanto aos Campeonatos Regionais, entendo eu que eles têm sim espaço e datas no futebol brasileiro. Basta a madrasta ser racional e, ao invés de coincidir Copa do Brasil com Libertadores, usar as datas continentais para fomentar novas competições.

Tais competições poderiam ser disputadas no 2º semestre, no meio de semana, usando as mesmas datas das competições continentais, com uma formatação relativamente rápida: fase de grupos com 6 clubes, seguido de play-offs. Os campeões dos regionais poderiam disputar entre si 1 vaga na Copa Sul-Americana.

Tais competições traria mais uma motivação para os clubes que normalmente estão de fora das divisões principais do futebol brasileiro e fomentaria as rivalidades locais e regionais.

O Campeonato do Nordeste é o carro-chefe dos regionais, e mesmo em 2010, quando foi feita nas coxas, movimentou o futebol da região, reabilitando clubes que estavam abandonados como CSA, Botafogo-PB, Treze, Sergipe, etc.

Certamente a Copa Norte ajudaria a resgatar as rivalidades e os clubes daquela região tão esquecida, o mesmo vale para a Copa Centro-Oeste, que poderia resgatar do limbo o futebol do Mato Grosso do Sul, que teve relativo sucesso nos Anos 70 e começo dos Anos 80. Mesmo nas regiões Sul e Sudeste, a organização dos torneios regionais fomentaria o futebol na região.

Gustavo Lucena

Nenhum comentário: