terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Calendário de Competições do Futebol Brasileiro - parte 1: Brasileirão por pontos corridos ou mata-mata?

Como as coisas do ABC FC andam meio que devagar, sem grandes novidades, resolvi que nos meus próximos textos abordarei sobre um tema que inclusive já foi debatido em outras oportunidades, que é o calendário de competições do futebol brasileiro.

O primeiro ponto é aquele que vem causando mais polêmica nos últimos meses, que é a questão do sistema de disputa do Campeonato Brasileiro.

Por um certo tempo, tal discussão havia se arrefecido graças a consolidação do sistema por pontos corridos.

Porém desde o ano passado o sistema passou a sofrer questionamento em razão da postura de alguns clubes nas últimas rodadas, que passaram a fazer corpo mole para prejudicar rivais locais que estavam na disputa do título ou para não cair.

E tudo indica que se for possível, tal corpo mole se repetirá em 2011. "Ano que vem vai ter troco", bravateou alguns corinthianos, após o Palmeiras e São Paulo não terem se empenhado diante do Fluminense.

Outro ponto que também vem sendo motivo de queixa dos torcedores é o fato de que, quando o clube se consagra campeão, eles sentem a falta da festa de premiação dentro do próprio estádio.

Ano passado o ex-presidente do Flamengo, Márcio Braga, se queixou da premiação insossa, dentro de um teatro e longe da torcida. Clamou pela realização de um jogo final para decidir o título.

Mesma coisa foi sentida pelo pessoal do Fluminense e pasmem, pelos mesmos membros da imprensa que são entusiastas dos pontos corridos.

Feita essas considerações, passo a opinar.

Entendo eu que o sistema de pontos corridos é importante para manter os clubes com calendário cheio até o final da temporada. E é o mais justo, pois premia o melhor time.

Como ABCdista, prefiro 1000 vezes ver o meu time se arrastando numa Série B até o final da temporada do que vê-lo abruptamente desclassificado e sem campeonato para disputar no mês de agosto.

No entanto, nada é mais prazeroso do que uma partida final, um jogo decisivo que concentra todas as atenções do país.

Como ABCdista pude sentir isso em várias finais de Estadual, mas em 2010 foi muito mais prazeroso, porque o Mais Querido disputou 2 grandes finalíssimas, o Brasileirão da Série C e o Campeonato do Nordeste. E o êstaxe da Final não tem igual. E é muito gostoso para a torcida participar da premiação, com direito a volta olímpica e uma grande farra fora do estádio.

Isso não me impediu de achar a fórmula de disputa da Série C uma merda e altamente cruel, pois o ABC chegou lá, mais correu o risco de ser forçado a fechar o departamento de futebol profissional ao final de setembro.

Além disso, acho altamente bizarro num campeonato brasileiro, o clube de melhor campanha, ao final de uma fase em pontos corridos, ter que disputar um mata-mata com o 8º colocado para chegar ao título.

Ou seja, muito embora não morra de amores pelos pontos corridos, acho que o Brasileiro tem que continuar com tal sistema de disputa, por ser mais benéfico aos clubes.

No entanto, é possível fazer alguns aperfeiçoamentos na fórmula de disputa:

1-Colocar os clássicos estaduais para as últimas rodadas.

2-Estipular a realização de uma partida final entre o 1º e o 2º colocado na tábua de classificação caso haja empate na pontuação, ou até mesmo a diferença entre ambos seja menor que 3 pontos. Essa finalíssima seria realizada no campo do clube 1º colocado e este teria o direito de jogar pelo empate.

3-Readequar os calendários da Copa do Brasil, da Libertadores, da Sul-Americana e dos próprios Estaduais, que poderiam ser espalhados ao longo dos 2 semestres de modo que as finais fossem disputadas nas últimas semanas da temporada regular. A finalíssima da Copa do Brasil poderia ser realizada no último domingo da temporada regular. Essa readequação saciaria a sede daqueles que são sedentos por grandes finais ao fim da temporada, em especial as emissoras de TVs ávidas por grandes audiências. Além do mais, evitaria a situação vivida por Internacional e Santos nesta temporada, quando ambos os clubes passaram o 2º semestre inteiro em banho-maria, sem quaisquer aspiração na competição, pois haviam atingido os seus objetivos.

Na próxima coluna, pretendo falar sobre os problemas do calendário de competições do futebol brasileiro. E tentarei ser menos prolixo.

Gustavo Lucena

3 comentários:

Black Ace disse...

A minha idéia de disputa seria em dois turnos, no primeiro os jogos de ida e o segundo os da volta,como é atualmente. Sendo que o campeão do 1º turno decidiria com o campeão do 2º turno o campeonato brasileiro em um jogo apenas, na casa do time que tiver maior pontuação dos dois.

Diego Ivan disse...

Black:

Não dá muito certo isso não. Como premiar um time que foi melhor 6 meses antes que outro?

Gustavo:

Concordo que adequações terão que serem feitas.

No começo do Brasileirão quando as equipes estão na Libertadores e usam times reservas. No final, com os clássicos regionais.

Aquela decisão em caso de empate é uma excelente ideia. Já em pratica na Itália.

Quanto a festa, a Sportv transmite na segunda seguinte ao titulo... Será que eles abririam mão? hwheheh Nunca. Por que não ter replicas das taças e enviar o material de festas para os Estádios envolvidos. Talvez a Globo e o senhor Marcelo Campos Pinto, saibam.

Abraço!!!

Black Ace disse...

Diego, a coisa ficou clara. Campeão do 1º turno tá na final e com vaga pra libertadores, do mesmo jeito o campeão do 2º turno, sendo que a final será em apenas um jogo, nos moldes do Nordestão, quem tiver a melhor campanha no total leva a decisão pro seu campo, mas sem nenhuma outra benesse.
Desta forma vc força a tchurma a dar o sangue desde o início da competição, e não ficar apenas administrando os resultados.