sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Copa de 2014: Porque Natal e mais 3 sedes são considerados elefantes brancos

Finalmente apareceu alguém na imprensa para falar sobre um problema que está sendo solenemente ignorado por todos que estão envolvidos com a Copa.

Mauro Cézar Pereira relata brilhantemente em seu comentário o porquê de Manaus, Cuiabá, Brasília e Natal serem considerados elefantes brancos pelo TCU

É aquilo que eu já vinha desenhando a algum tempo. Nessas cidades, os clubes no máximo almejam chegar a uma Série B.

Estão sendo construídos estádios caríssimos, mas e depois de 2014, haverão clubes locais para disputar competições anuais?

As Séries C e D estão abandonadas e desvalorizadas pela cbf. Tais competições precisariam ser revitalizadas de forma a torná-las atraentes aos torcedores.

Ou então deveria haver uma reforma radical no calendário de competições.

Podem me chamar de retrógrado ou de medíocre, mas entendo eu que uma das soluções seria desmembramento do Campeonato Brasileiro em pelo menos 2 regiões: Norte-Nordeste e Centro-Sul, onde em cada uma delas desenvolveria suas ligas, que seriam disputadas ao longo da temporada. Ao final, os melhores disputariam play-offs para definir quem seria o campeão.

Seria uma forma de desenvolver e motivar o futebol por todo o Brasil, que é um país continental e que de fato é complicado ainda hoje fazer uma integração nacional.

É muito difícil motivar a torcida um clube que está disputando a Série D, ainda mais se ela é sazonal. Se fosse facilitado o acesso a esses clubes a elite nacional, talvez fosse diferente.

Enfim, é um absurdo pensar que os únicos legados da Copa sejam apenas elefantes brancos e dívidas homéricas e desnecessárias.

EUA, Coréia do Sul e Japão fortaleceram suas ligas. Aqui no Brasil as coisas caminham justamente em sentido contrário, com a cbf cada vez mais fazendo força para matar os clubes e quem sabe deter o monopólio do futebol brasileiro.

Gustavo Lucena

Photobucket

4 comentários:

Anônimo disse...

Eu acho que a situacao do estadio de Recife eh pior que a daqui. O estadio eh longe, fora de Recife, e os tres grandes ja possuem estadio proprio. Apesar de estar programada a construcao de uma estacao de metro para o estadio, vai ficar complicado o seu uso.

Diego Ivan disse...

Gustavo, vamos procurar soluções sem retroceder.

Dividir o Brasileiro entre Sul e Norte, não garantem nada a ninguém, principalmente aos nosdestinos.

O que tem que ser feito é a CBF dividir melhor esse bolo entre os times de divisões inferiores.

Parar de cuidar somente da Seleção e fomentar o futebol em regiões onde o futebol sofre. Qualquer solução que não faça isso é somente adiar o inadiável.

Quanto aos elefantes brancos, grandes novidades, ou alguém acha que o Machadão alguma vez deu lucro? Agora dizer também que só se disputa futebol no sul e sudeste é preconceito. Cada região tem a sua realidade esportiva, vejo que algumas vezes esses comentaristas trafegam sobre a linha tênue do preconceito regional.

Gosto do Mauro, mas ele as vezes passa do limite.

Agora eu acho engraçado o TCU, não serve pra nada, alguém já foi punido pelo super faturamento do Pan? É um oportunismo sem futuro, por que de fato não resolvem nada.

Abraço!!!

Gibson Azevedo disse...

Gustavo, sempre achei uma piada de mau gosto trazer, alguns jogos de menor importância da Copa do Mundo de futebol, para a nossa cidade; que é bonita, mas é como uma "mulher de zona": não tem o menor preparo.
Natal não tem infra-estrutura para receber nem um capeonato mundial de sinuca, quanto mais um de futebol.
Falei!

Anônimo disse...

Elefantes brancos EXISTEM EM TODO O BRASIL.

Aliás, a cultura no Brasil, até pela lentidão das grandes obras públicas é de se erguer primeiro a obra para depois analisar sua utilização.

No RJ, em SP, e em todo Sul e Sudeste os elefantes brancos são comuns, os minhocões e obras malufistas e do Senhor César Maia.

Mas lá não há grandes reclamações, aliás, as reclamações de nós, nordestinos, deveria ser exatamente por destinar grandes recursos para os elefantes brancos DE LÁ.

Mas não.

Nós, aplaudimos(ou nos omitimos) nos absurdos feitos lá, mas basta alguem querer trazer água pelo São Francisco para um povo sofrido durante séculos que, nós, os próprios nordestinos caimos como patinhos no discurso "inteligente" e oportunista da eficiência dos gastos públicos.

O nortista e nordestino merecem todo seu sofrimento por se deixar levar sempre pelo casuísmo sulista e sudestino.