sexta-feira, 6 de agosto de 2010

A venda de Wallyson

Tem gente falando besteira, tem gente se aproveitando da situação. Para mim está claro como agua a situação dos ABCdistas que adquiriram uma das quinhentas cotas equivalente aos 10% do passe que pertence ou pertencia ao ABC Futebol Clube. Resta saber o valor que cabe ao Alvinegro nessa negociação. Por isso vou esmiuçar, sem deixar duvidas o que ocorreu em 2009, para que quem estiver com duvidas as tire agora.

A ideia na época da negociação era que o torcedor do ABC poderia adquirir cotas, no valor de R$ 1.000,00 cada, num total de 500 cotas, para ajudar financeiramente o Clube. O torcedor que comprou as cotas se tornou proprietário de uma parte proporcional ao numero de cotas, dos 10% dos direitos federativos de Wallyson que pertencia ao ABC Futebol Clube.

Segundo informações, cerca de 220 cotas foram vendidas, ou seja, 280 cotas ainda pertenceriam ao ABC. Consequentemente, dos 10% destinados ao ABC, os cotistas teriam direito a 44%, sendo os 56% restantes de propriedade do Clube.

Em 2009, se estimava que o passe de Wallyson valia algo em torno a R$5.000.000,00 que se tornou a base do calculo para a negociação entre o Clube e a torcida. Fazendo um rápido calculo, se Wallyson fosse vendido por esse valor, ao ABC seriam repassados 10% da negociação, ou seja R$ 500.00,00. Desses R$ 500.000,00 caberia ao ABC R$ 280.000,00 e para os cotistas R$ 220.000,00 a ser dividido entre os investidores. Assim o investimento de R$ 1.000,00 seria devolvido a quem de direito.

Como se tratava de um investimento de risco, tanto Wallyson poderia ser vendido de acordo com as previsões, ou seja R$5.000.000,00, como poderia ser vendido por um valor superior ou inferior. Caso fosse negociado acima desse valor, os investidores teriam lucro, já que ao investir R$1.000,00 a negociação poderia render um valor superior a esse. Se não houvesse negociação, ou a negociação ocorresse por um valor inferior ao esperado, o valor pago equivalente a cada cota seria menor do que o aplicado.

Pronto, agora que tudo foi explicado com relação as cotas vendidas pelo ABC em 2009, o que tem que ficar claro nesta negociação de Wallyson é: 

Por quanto o Atlético-PR negociou Wallyson?

Os 10% do ABC também foram vendidos?

Se sim, por quanto? (só assim o ABCdista poderá saber o quanto vale cada cota)

Com essas respostas, o investidor das cotas saberá se terá algo a receber. Talvez apenas o Atlético tenha vendido a sua parte na negociação, tendo o ABC a possibilidade de vender os seus 10% em outro momento e por outro valor.

Fala-se na mídia local, que a negociação de Wallyson com o grupo estrangeiro girou em torno de €400.000,00, que equivalem a R$1.000.000,00. Se esse valor for o verdadeiro, os 10% do ABC valeriam R$100.000,00, sendo que cada torcedor/investidor receberia R$200,00 por cota

Quem não concorda, ou acha pouco esse valor, deve torcer para que o ABC não tenha vendido a sua parte, ou que o valor da negociação seja outro. O certo é que se tratava de um investimento de risco, poderia dar muito certo, como poderia dar errado. Não surpreende uma desvalorização de Wallyson, primeiro por que ele ficou um tempão sem jogar e também por que os Clubes Europeus vivem dias de aperto financeiro.

Agora é aguardar para saber se o ABC tem alguma coisa a receber, se tiver não tenho duvidas que os torcedores recebam o que lhes é devido.
Photobucket

Nenhum comentário: