sábado, 24 de julho de 2010

Natal fora da copa seria uma boa???

Texto do Jornalista Alex Medeiros.

Não dá para fazer prognósticos certeiros no momento, mas eu sei que nunca foram tão mais prováveis do que possíveis os riscos de Natal ficar fora da Copa do Mundo de 2014. Se isto vier a ocorrer, tenho a consciência de que eu fiz a minha parte.
Bom, mas o comentário de hoje não é bem para destacar minha torcida contra a realização do evento da FIFA na cidade onde eu nasci. Mas sim para estabelecer alguns parâmetros que diferenciam minhas opiniões de outras que são também contra a Copa.
Por exemplo, não sou do time que quer a utilização do Machadão, todo recauchutado, nos jogos de 2014. Não. Primeiro, porque não quero nenhum jogo da Copa por aqui, continuo achando que logo a CBF comunicará a desclassificação de Natal.
Segundo, porque não defendo a manutenção do velho estádio construído sob um sonho do prefeito Agnelo Alves e os recursos dos generais da ditadura. Minha opinião é que no local do Machadão deva erguer-se um estádio menor, nos moldes do Frasqueirão.
Estou centrado na preocupação de evitar que a cidade tenha uma segunda era de “elefante branco” na nobre área de Lagoa Nova. O outrora Castelão é deveras desproporcional ao tamanho minúsculo do futebol de Natal e do Rio Grande do Norte.
Todos sabem – muitos evitam reconhecer – que em mais de 38 anos o estádio Castelão/Machadão jamais chegou a ser concluído, atravessou as décadas como uma esponja a chupar o dinheiro público com seus prejuízos cada vez maiores.
Como praça de futebol, virou um cemitério da decadência dos nossos clubes e times; como sede de uma secretaria obsoleta, transformou-se num cabide de concreto para os empregos fabricados na politicagem de prefeitos e partidos que se alternam em Natal.
Eu já havia manifestado uma opinião durante a gestão do prefeito Carlos Eduardo e volto a tocar no assunto na regência do governo Micarla de Sousa: o Machadão deve dar lugar a um estádio menor para comportar racionalmente o futebol potiguar.
Deveria ser derrubado, independente da Copa 14 (que, repito, acho que não virá para Natal) e lançado numa concorrência pública para sua privatização, assim com toda a sua área de estacionamento e a vizinhança do ginásio Humberto Nesi e do Carnatal.
O vencedor da contenda licitatória ganhará uma boa área para explorar da forma que achar melhor e mais lucrativa, mas com o compromisso de entregar a Natal uma nova arena esportiva, europeizada, com capacidade para 20 ou 25 mil torcedores.
O construtor a gerenciaria por duas décadas, em parceria com a Prefeitura e a Federação de Futebol, explorando em suas instalações lojas, cinema e pontos de serviço, além de garantir a manutenção. Os clubes e a FNF teriam suas taxas de faturamento.
Assim, ao invés do corre-corre e das pendengas em torno da duvidosa Copa de 2014, Natal começaria a planejar sua participação no primeiro campeonato de futebol com dois estádios exatamente do verdadeiro tamanho da nossa bola.
E aí, já em 2012, com uma dezena de candidatos a prefeito pedindo o voto do povo nas ruas, a cidade veria as Olimpíadas de Londres no meio do ano e um campeonato potiguar com ABC, Alecrim e América tendo duas boas opções de receber visitantes.
Na inauguração do novo estádio, não interessa o nome que vá se colocar, reuniríamos os principais times do RN num torneio que poderia chamar-se Copa Natal, com duração de duas semanas, em jogos festivos também no gramado do utilitário Frasqueirão.
Com as torcidas em festa, a cidade emulada em torno da bola e da nova casa, quem sabe retomaríamos aí o já falecido glamour que tanto envolveu os times de Natal em décadas pregressas? Talvez houvesse uma melhora no minguado público dos jogos de agora.

A tal Arena das Dunas é um exagero para a realidade do nosso futebol, assim como o famigerado "legado" da Copa 14 é um devaneio de alguns e interesses escusos de outros. Eu não defendo o evento da FIFA em Natal, mas também não quero mais o Machadão.

2 comentários:

Anônimo disse...

Esse Alex Medeiros é mesmo (aliás, sempre foi) um abestado!!!

Luiz Felipe disse...

Ainda bem que esse Alex não é político(está querendo imitar o Miguel Mossoró?)!!!