quarta-feira, 30 de junho de 2010

Vale a pena torcer pela seleção da cbf?

3 razões me fazem ser tão frio com a seleção da cbf e não me empolgar com a possível e iminente conquista do hexa.

A primeira delas está no fato de que não consigo me identificar com a maioria dos jogadores que estão lá. Para mim não são jogadores brasileiros e sim europeus, pois grande parte deles saíram do Brasil ainda jovens e não fizeram identidade alguma com os torcedores

Também não gosto da falta de caráter de alguns atletas. Acho Kaká, Luís Fabiano e Robinho 3 malas-sem-alça, patriotas de araque, muito mais preocupados com os merchans da Gillette, Brahma e Samsung do que com a seleção.

A segunda razão está no total divórcio da mesma com a população brasileira. Raramente se ver um jogo da seleção em solo brasileiro, e quando isso acontece, é somente em territórios nos quais ela já jogou várias vezes (RJ, SP, BH, POA, BSB, etc). Se dependesse do sr. Ricardo Teixeira, com certeza a seleção da cbf mandaria seus jogos oficiais (Eliminatórias, Copa América, etc.) na Europa ou em países árabes que pagassem um bom cache para a cbf.

E a terceira razão, a mais importante sem sombra de dúvidas é que o sucesso da seleção da cbf significa a destruição do futebol brasileiro. A cada título conquistado por Júlio César, Juan e Lúcio, a cada gol marcado por Luís Fabiano significa para mim que Ricardo Teixeira se perpetuará mais e mais no poder. Fica a impressão que nem se morrer ele deixará a presidência da cbf.

Com Ricardo Teixeira no poder, o futebol brasileiro andou para trás. Os clubes estão cada vez mais pobres e endividados. A cbf centraliza todas as competições, impedindo que estas sejam organizadas de acordo com o interesse dos clubes.

O exemplo da Série B no ano passado está aí, a cbf tomou para si todos os direitos televisivos da competição e os clubes receberam quotas miseráveis, terminando o ano com dívidas impagáveis. O ABC sabe muito bem o que é isso, o quanto foi prejudicado financeiramente por essas medidas arbitrárias.

Os próprios clubes da Série A - pretensos filhos queridos da madrasta - sofrem em razão da desorganização logística da competição, seja com a realização de jogos em horários que inviabilizam a presença maciça do torcedor no estádio, seja com o fato de que no meio do ano o Camp. Brasileiro não pára e com isso os clubes sofrem desfalques em razão das janelas de transferência do futebol europeu. Além de é claro haver uma sensação de que eles poderiam ganhar muito mais dinheiro e com isso montarem times capazes de manter a torcida junta.

Isso sem falar nas Séries C e D, que possuem uma formatações pobres e deficitária e que num passado recente a cbf fez questão de matar a galinha dos ovos de ouro dos clubes do Norte-Nordeste, que eram os Campeonatos Regionais.

E quando comparamos o futebol brasileiro com os campeonatos de outros países, aí que minha rejeição aumenta, pois em todos os países, mesmo os clubes das divisões amadoras possuem calendário de competições até o fim do ano.

Na minha visão - tosca e reacionária talvez - as vitórias da seleção da cbf simbolizam que todo esse sistema viciado permanecerá por anos a fio.

Simboliza que clubes como o ABC ficarão cada vez mais marginalizados, a mercê de competições deficitárias, ainda que a Frasqueira se faça presente nos jogos, ainda que o Mais Querido faça campanhas brilhantes.

Isso porque não falei que o eventual hexa dará carta-branca para uma iminente farra do boi para 2014.

Gustavo Lucena

Photobucket

Nenhum comentário: