quarta-feira, 9 de junho de 2010

Drops e notas do clássico de ontem

Nanico escroto

Impressionante como o goleiro dos hemorrágicos cresce nos jogos contra o ABC.

Ontem esse FDP quase me fez estourar os miolos.

Acho que ele só jogará desse jeito na próxima vez que enfrentar o Mais Querido.

Nos próximos jogos ele voltará ao normal.

Só foi isso?

Olha, a visão que tive do Frasqueirão é que o estádio estava 50% ocupado.

Acho que tinha um pouco mais que os 7400 anunciados.

Rumores sobre Wallyson e Nêgo

Ontem, resenhando com diversos colegas ABCdistas, surgiu uma história no mínimo intrigante.

É sabido de todos nós que tanto Nêgo como Wallyson se encontram em Natal, ambos de alguma forma encontram-se impedidos de trabalharem em seus clubes.

Ambos solicitaram a direção do ABC para treinarem em separado nas dependências do clube. Apenas Wallyson recebeu autorização para tanto.

Antes que eu já me inclinasse para a tese do "2 pesos, 2 medidas", escutei um argumento razoável para a negativa dada a Nêgo.

Acertadamente a direção fez isso como uma medida de retaliação contra o empresário do jogador, o tal do Edi.

Está muito na cara que o referido cidadão está sim prejudicando a carreira do atleta, que tem interesse em jogar pelo ABC. Se formos olhar o histórico dele pós-ABC, vimos que ele perambulou por clubes do mesmo nível do Mais Querido, apesar dos mesmos estarem localizados em São Paulo.

Nesse tempo todo o atleta não conseguiu despertar o interesse dos grandes, então voltar a jogar em sua cidade natal não seria um retrocesso na carreira. Mas o empresário escrotão conseguiu afundar ainda mais a carreira dele, colocando-o no obscuro Anapolina, onde foi banco de reservas.

Diante de tantos descasos, há uma certa torcida para que o atleta rompa com o empresário, pois do contrário suas portas estarão fechadas no ABC.

Reforços necessários

Um lateral direito: Ronaldo e Paulinho não dão conta do recado.

Um meia-atacante: para fazer sombra ao Cascata, que não vem jogando muito bem

Avaliação dos atletas

Wellington - seguro quando solicitado. Nota 8,0
Ronaldo - ridículo, teve a façanha de fazer o fraco Berg jogar bola. Nota 2,0
Tiago Garça - tranqüilo, praticamente anulou o ataque adversário. Nota 7,5
Leonardo - idem. Nota 7,5
Renatinho - frouxo no apoio ao ataque, deficiente na defesa. Nota 4,0
Basílio - o melhor jogador do ABC, um belo ladrão de bolas. Nota 8,5
Ricardo Oliveira - combativo, mas ainda fora da forma ideal. Nota 7,0
Claudemir - também esteve bem. Nota 7,0
Cascata - muito marcado e errando passes bestas. Nota 5,0
Zulu - boneco de Olinda ou manequim? Nota 1,0
João Paulo - produziu algumas jogadas ofensivas, mas não teve a felicidade de marcar. Nota 6,0
Éderson - entrou e melhorou a movimentação do time lá na frente. Nota 5,5
Éverton César - entrou no mesmo nível de Ricardo Oliveira. Nota 7,0
Felipe Moreira - s/n
Leandro Campos - demorou para realizar as substituições a tempo de ocorrer uma eventual mudança no panorama do jogo. Nota 6,0

Gustavo Lucena

Photobucket

2 comentários:

Vicente Prudêncio disse...

Apesar dos erros no primeiro tempo, gostei de Cascata. Acho normal a oscilação no desempenho dele, até porque 100% nem Pelé...

Agora sobre Zulu, uma piada de mal gosto... Como é que contratam um jogador deste naipe. Pelo amor de Deus...

Anônimo disse...

Vicente Prudêncio é doido. Está cometendo a loucura de criticar a diretoria atual. Você tá doido homem.