terça-feira, 4 de maio de 2010

Radiofonia e as traquinagens dos que recebem orelhas

É sempre assim, mudam os personagens mas a resenha é a mesma.

Um conselheiro me ligou e disse que...
Tradução: Um conselheiro depositou a orelha e quer que eu diga...
Não consegui confirmar a notícia, mas publiquei assim mesmo...
Estou me fazendo de doido para não ser desmentido na hora...
Melhor elenco no papel...
Elenco que o diretor do time me pediu elogiar...
O time precisa de reforços urgente...
Gasolina na fogueira...
Gastou demais com rescisões e não pagou devedores...
O agiota que emprestou dinheiro ao clube tá reforçando a orelha...
Fulaninho apesar de tudo é um apaixonado pelo time...
É doido mas a orelhinha é gorda...

Pessoal, quem ouve resenhas esportivas pelo RN sabe que tudo isso já foi dito, durante os programas esportivos. Hoje foi brincadeira o que um dito Jornalista fez, acusando o ABC de estar pagando altas rescisões sem cumprir antes com os compromissos com os credores do Clube. 

Muito me admira que um sujeito que a pouco pedia uma reformulação do elenco Alvinegro, tenha utilizado o microfone da emissora a qual é vinculado afirmar que o Alvinegro está dando calote nos AGIOTAS que emprestaram dinheiro ao Clube. Tudo isso se valendo da palavra de um “conselheiro” que pediu para ficar na moita. 

Aí depois tem gente que não acredita que existam as orelhinhas e cafezinhos. Agora não se enganem, do mesmo jeito tem gente que recebe para morder, tem gente que recebe para assoprar. 

Por isso, tem que ter um filtro do tamanho do mundo para captar as verdadeiras informações do seu time do coração, senão a turma é emprenha pelos ouvidos mesmo.
Photobucket

2 comentários:

fernando disse...

aonde danado foram achar esse tal de pedro neto? pense num cabra safado!

Gustavo Lucena disse...

Não é só no futebol que isso acontece não, o jornalismo brasileiro como um todo está refém das orelhinhas.