terça-feira, 13 de abril de 2010

Mentalidade colonialista, complexo de vira-latas ou o quê?

Me causa irritação e indignação quando vejo alguns cronistas da imprensa local de que os bons jogadores revelados pelo ABC FC nunca devem estar a disposição do Mais Querido nas competições mais importantes.

É sabido que nos últimos tempos o trabalho de base do ABC FC vem tendo progressos e revelando bons valores.

Nêgo, Wallyson e João Paulo são os nomes que melhor se sobressaíram.

Porém, toda vida que surge um jogador diferenciado nas bases, a imprensa já quer colocá-lo a venda.

E quando os jovens atletas chegam lá no Centro-Sul maravilha e passam por dificuldades profissionais, quando o ABC corre atrás dos mesmos aí vem essa mesma imprensa dizendo que jogar no ABC é um retrocesso de vida, que os atletas tem mercado nas Séries A e B do Brasileiro ou na Europa etc.

A situação mais recente é com o ala Nêgo. Encostado no inexpressivo Anapolina-GO, tem surgido especulações de que o jogador pode vestir as cores do Mais Querido na Série C. Porém a imprensa fica torcendo contra essa vinda, dizendo que ele tem mercado para Série B, que o empresário dele é um pica-grossa que consegue colocá-lo em bons clubes, etc.

A mesma situação aconteceu e acontece com Wallyson, que está encostado no Atlético-PR desde 2008 e nunca se firmou por lá. Mesmo assim a imprensa insiste em não querer vê-lo no Complexo Vicente Farache. Garanto a vocês que se o ABC tivesse segurado-o para 2008, tanto o clbue como o jogador ganhariam muito mais em todos os aspectos, seja financeiro, seja profissional.

Isso sem falar que ao final do Estadual vão querer vender João Paulo, Édson e Wellington a todo o custo, como se o Estadual daqui fosse a mesma vitrine do Paulistão.

Talvez seja por essa mentalidade que o futebol daqui não progride.

Prevalece o complexo de vira-latas.

Gustavo Lucena

papoalvinegro@gmail.com

2 comentários:

Black Ace disse...

Sem nada a acrescentar.

Muito bom o raciocínio.

em cima...

Diego Ivan disse...

No caso de Nêgo temos uma situação objetiva, enquanto o ABC não tirar a ação na justiça que tem para o Atlético Mineiro pagar, acho que dificilmente Nêgo será emprestado.

Quanto a Wallyson ele quebrou o pé, está retornando agora ao time do Atlético Paranaense. Além disso quando chegou passou 6 meses se recuperando de uma pubalgia. Dessa maneira ele não ira se firmar mesmo.

Agora, mais objetivamente falando, será que o ABC tem dinheiro para segurar jogadores? Além da multa recisoria, pagou levou, como o ABC seguraria Edson e JP?

Por isso não vejo esse problema na imprensa, vejo problema unicamente quando a imprensa bota terra em negociações com jogadores liberados de contratos, que não é o caso de Nêgo e não é o caso de Wallyson, dizendo que é retroceder na carreira.

Abraço!!!