sábado, 17 de outubro de 2009

3 Farsas: O Termo de Ajuste de Conduta com o MP, o "Patrocínio" da prefeitura e a Imparcialidade da Imprensa Local

Vou ficar um tempo sem falar sobre o que acontece com o ABC dentro de campo. Enquanto Flávio Lopes estiver desmandando no time, me recuso a fazer qualquer comentário. Ainda estou tão puto com o que vi ontem que vou pensar 3 vezes em ir ao jogo contra o Vasco, mesmo sendo sócio e tendo entrada franca.

Mas sobre os temas que citei no título, pretendo explicar porque ambos forma 3 factóides sebosos.

O Termo de Ajuste de Conduta Não Mudou Nada

Os ingressos já seriam vendidos a R$ 30,00. A única diferença é que esse preço valerá até a hora do jogo.

O MP fracassou em seu intento, que era propor a venda antecipada a R$ 20,00 e no dia do jogo subiria para R$ 30,00.

Prevaleceu a vontade do padrastos, no final das contas.

Transformaram a promessa de pagamento de um débito atrasado em contrato

O ABC já era patrocinado pela Prefeitura desde a gestão anterior.

No início de 2009 a prefeita-borboleta, carioca por bajulação e falta de personalidade e orgulho de ser natalense (vejam só o chiado dela, parece o Ivo Meireles cantando), assumiu e logo cortou as verbas.

Mesmo assim, o babão do ET ainda ficava puxando o saco desta cidadã, dizendo que ela ia destinar verbas para o ABC, como se isso já não acontecesse na gestão anterior.

No evento de ontem conseguiram transformar a promessa do pagamento de uma dívida em um evento espetaculoso e pomposo.

Só os bestas que ainda foram beijar a mão desta cidadã.

Particularmente, se eu fosse presidente do ABC barraria a borboleta marketeira e seu secretário falastrão de entrarem no Frasqueirão. Até o meu pai - frequentador assíduo dos jogos do outro time do RN na Série B - foi a mais jogos do ABC (tirando os clássicos é claro) do que estes cidadãos.

Imprensa local foi omissa e parcial na cobertura dos fatos

Ambas as farsas foram acompanhadas com cumplicidade pela imprensa esportiva local.

Primeiro que até agora ela não percebeu que o Termo de Ajuste de Conduta proposto pelo MP não mudou em (quase) nada no que tange a cobrança dos ingressos.

O tempo todo ela omitiu que o ingresso ABC x Vasco originalmente seria cobrado a R$ 30,00 de maneira antecipada e que esse TAC feito entre ABC e o MP só serviu para ratificar os interesses dos padrastos.

Isso só mostrou que faltou uma investigação mais acurada por parte da imprensa, que desde o início ficou quase automaticamente alinhada aos interesses da diretoria do ABC, desprezando por total a reclamação dos torcedores que se sentiram lesados com tal aumento.

Já na celebração da promessa de pagamento dos débitos atrasados por parte da prefeitura, ela omitiu o fato de que os clubes já tinha direito a essa verba desde a gestão anterior (a exceção do Alecrim) e que na verdade o que estava acontecendo era que a prefeita e seu secretário simplesmente cortaram o repasse da verba e que só agora estão prometendo fazê-los.

Enfim, a semana encerra de maneira negativa para o futebol do Mais Querido.

E eu vou descansar e acompanhar a F-1 e estudar para ver se me torno um sujeito influente, capaz de mudar o Brasil. E também para esfriar minha cabeça.

Gustavo Lucena

Photobucket

Nenhum comentário: