quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Rapidinhas da manhã (03/09)

Reforços em segundo plano

Judas Tadeu deixou bem claro ontem que a prioridade no momento é o saneamento financeiro do elenco, ou seja, a meta principal é colocar os salários em dia.

Depois disso é que ele deverá partir para reforçar na reta final do Brasileiro, isso se ainda houver chances matemáticas de escapar da degola.

A prioridade imediata não são atacantes

Mesmo assim rumores indicam de que Conselheiros e empresários estariam dispostos a bancar 2 reforços para o ABC.

Os nomes sondados são Pantico e Marciano, que ajudaram o ICASA a obter o acesso a Série B 2010.

Pantico é do mesmo nível de atletas que já passaram por aqui como Moré e Waldyr Papel.

Marciano eu não conheço.

Se o ABC for contratar atacantes terá que dispensar os que já estão aí. E aí tome dinheiro para pagar rescisões.

O ABC precisa de um meia de ligação

Tudo bem que o ABC errou feio esse ano na contratação de atacantes.

Fábio Silva, Waldyr Papel, Ronaldo Capixaba e Paulinho Macaíba cansaram de perder gols em que entre a bola e a trave não havia ninguém.

Porém, o mal maior do ABC é na falta de um meia de ligação para alimentar o ataque.

Gedeon é ruim e o tal do Tucho não está em forma. Mesmo assim torcedores do Figueirense já disseram que ele não é um bom jogador.

Como o ABC não pode contar sempre com Sandro, tá na hora de contratar um camisa 10.

Um nome que sugiro é o Irênio, que está no América-MG. Outro nome que eu sugiro, se estiver em plena forma física e técnica é o polêmico Juninho Petrolina. Gostem ou não os críticos desse atleta, é muito melhor que Gedeon, Tucho (pelo menos até agora), Kel e até mesmo o festejado (e festeiro) Alex Oliveira. E seria útil ao ABC nessa Série B.

E tome dor de cabeça com a arbitragem

Antônio Hora Filho (SE) apitará o jogo de sábado.

É um nome altamente odiado pela Frasqueira, seja por ser um árbitro fraco, seja por ser uma pessoa de má-fé.

Foi ele quem apitou na Série C/2007 o jogo ABC 4x3 Bahia.

O ABC ganhou na base do rolo compressor, pois o juiz inverteu muitas faltas, expulsou jogadores do ABC de maneira abrupta fez de tudo para ajudar o time baiano, prorrogando o jogo até os 51 minutos do 2o tempo. Sem dúvidas foi a vitória mais suada e complicada do ABC naquela Série C.

Ficou conhecido pela torcida como Antônio "hora de roubar" Filho.

E a diretoria do ABC não age nos bastidores, aceitando essas aberrações para dirigir os jogos daqui.

Gustavo Lucena

Photobucket

Nenhum comentário: