quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Nesse jogo de gato e rato, todos estão errados

Depois de muita luta, hoje finalmente o ABC receberá o quinhão financeiro referente ao governo estadual. Uma ajuda pequena, mas que, aliada as rendas dos 2 próximos jogos, poderá minimizar ainda mais o problema dos salários atrasados.

No entanto, o que está pegando mesmo é o dinheiro do patrocínio da Prefeitura de Natal.

Há uma nítida sensação de que a diretoria do ABC caiu no conto do vigário em acreditar piamente que a atual alcaide iria cumprir fielmente o acordo que já vigora desde 2007.

Em 2009 a Prefeitura vem sistematicamente dando um calote no ABC. O atual secretário de esportes, que se diz ABCdista vive enrolando Judas Tadeu e sua trupe. (Aliás esse secretário teve a idéia bizarra de no dia clássico marcar um jogo de Basquete envolvendo o Flamengo para "inaugurar" o ginásio na Zona Norte e com isso pode tumultuar o fluxo de torcedores que moram naquela região para o Frasqueirão, pois é sabido que existem muitos ABCdistas/flamenguistas)

E olhe que a prefeita se diz ABCdista. Para mim é uma ABCdista de araque, que usou eleitoralmente o Mais Querido e depois deu uma banana. Na gestão anterior não havia essas dificuldades.

Mas nesse jogo de gato e rato, não existem mocinhos.

A Prefeitura erra em ficar enganando a diretoria do ABC com falsas promessas e dificultar mais e mais a liberação da grana que fora acordada.

A diretoria do ABC erra em querer tudo de mão beijada.

O dinheiro do Poder Público sempre exige uma prestação de contas ou uma contrapartida por parte do particular que o recebe.

Se o Poder Público me contrata como servidor, eu tenho que dar uma contrapartida, ou seja, trabalhar para atender as reivindicações da coletividade. Numa licitação promovida para construção de uma obra pública, exige-se do particular contratado que ele realize-as dentro dos ditames exigidos pela Administração Pública.

Qual a contrapartida que o ABC oferece para o povo natalense/norte-rio-grandense?

Não me venham com essa história de que "divulga a marca do Estado/Prefeitura para todo o mundo com as transmissões dos jogos da Série B", pois isso não cola.

E o que o ABC poderia fornecer em contrapartida ao dinheiro público investido? Investir no fomento do esporte como um meio de educação, lazer e trabalho.

De qualquer forma fica a lição de que, se quiser contar com o patrocínio do Poder Público, o ABC terá que vir municiado de uma contrapartida, pois assim o contribuinte verá que a grana aplicada no Mais Querido terá um retorno benéfico a sociedade.

E que também não se deve confiar em certos tipos de políticos que se dizem ABCdistas, mas que dão as costas para o clube nas horas mais complicadas.

Gustavo Lucena
Photobucket

3 comentários:

Abecedista disse...

Amigo, bom foi o marcador da postagem: CALOTE, a cara de alguns políticos.

Diego Ivan disse...

Amigo está claro que a divulgação que o Governo do Estado quer é a divulgação política do gestor. Se quisesse uma verdadeira divulgação dos pontos turísticos do Estado era só colocar mensagens do tipo.

"Visitem Pipa"
"Visitem a Pedra do Rosario"
"Visitem o Cajueiro"

E assim vai, de maneira que pontos turísticos fossem o foco do negocio, e não "Governo de Todos". Eu não vou visitar o governo de todos, visito sim os pontos turisticos.

A minha ideia seria colocar quatro ou cinco tipos de camisas, com patrocinadores diferentes divulgando os destinos e não o Governo.

Nessa estória o menino sou eu, o resto é tudo cobra criada.

Abraço!!!

Paulo disse...

Grande Gustavo.
Vou direto ao último paragrafo ...também não se deve confiar em certos tipos de políticos...
Confiar em político? É doido? Tá biruta? Essa turma não é mole. Todos são ladrões, mas há aqueles que ainda não são. E só.