terça-feira, 14 de julho de 2015

O problema vai muito além de treinadores e jogadores

Derrubar o Dal Pozzo - um treinador que se mostrou "mais do mesmo" dos prancheteiros e treineiros que já passaram pelo ABC nos últimos anos - chega a ser um ato de covardia.

Ele e apenas uma mera peça nova que colocaram numa engrenagem que há muito encontra-se enferrujada e destruída.

A culpa pelo péssimo desempenho do ABC nos últimos tempos não pode mais ser creditado única e exclusivamente a treinadores e jogadores, por pior que eles sejam.

O ABC já cansou de mudar de treinador e jogador e o resultado é sempre o mesmo: times apáticos, perdedores e sem identificação com a torcida.

Será que vocês não perceberam que o desempenho dos times montados nos últimos anos são rigorosamente iguais (talvez o único hiato a esse tédio foi aquela arrancada espetacular na Série B 2013)? São sempre os mesmos erros, o mesmo filme visto várias vezes.

A culpa deve ser creditada única e exclusivamente a direção do clube, que continua a praticar uma filosofia de se fazer futebol ultrapassada, perdedora e altamente nociva a saúde do clube.

Uma filosofia onde se contrata por contratar, onde o clube não é senhor dos próprios atletas, onde o interesse do empresário "parceiro" se sobrepõe ao critério técnico, onde o que vale é se endividar sem qualquer responsabilidade fiscal e por aí vai.

É o que vem das mentes turvas que estão sentadas no ar-condicionado da sala da presidência do clube que está acabando com o clube.

Hoje, quem tem que sair não é o treinador, mas sim todos aqueles que comandam o clube. Eles que deveriam renunciar e o Conselho convocar novas eleições.

Um comentário:

Eduardo disse...

"Urucubaca" apenas, segundo um renomado blogueiro na data de hoje.