domingo, 16 de outubro de 2011

Texto de Itamar Ciríaco


Peço licença para publicar este texto, que achei bem lúcido, e que retrata de forma fiel o que penso sobre o momento do ABC

Algumas considerações sobre o ABC


A derrota do ABC para o Duque de Caxias (1 a 0, no Rio de Janeiro) é intrigante. Como um time pode sofrer uma queda tão grande de produção entre o início e o final de uma competição? Aqui mesmo já falei sobre os outros motivos lógicos para isso. No post passado falei sobre a questão da demora e dos erros para reforçar, de salários pagos com cheques pré-datados, entre outras coisas.
Dessa vez, ao menos no começo do jogo, quando o time sofreu o gol da derrota aos incríveis dois minutos, ficou claro que falta uma coisa essencial para quem quer vencer seja no esporte, seja na vida: MOTIVAÇÃO.
Ao ver o Alvinegro entrar em campo, quando ainda estava na redação da Tribuna do Norte, eu disse: “Minha nossa eles estão indo jogar bola mesmo, ou para o enterro de alguém?”. É isso amigos, o time entrou em campo com uma indisposição impressionante e isso refletiu no domínio brutal do adversário por quase 10 minutos. E olha que o adversário era horrível e também não me venham falar de pressão da torcida, diga-se de passagem ridícula (setenta e poucas testemunhas).
No meu tempo de atleta, relembro bem que o treinador dizia: “Entrem para jogar mostrando raça, raiva, força. Intimidem o adversário logo de cara mostrando sua motivação”. No Rugby, os All Blacks da Nova Zelândia fazem a dança da guerra antes do jogo e deixam os adversários literalmente intimidados.
Isso funciona sempre? Lógico que não, mas ajuda na maioria das vezes. Se não intimida os outros, te motiva, senão motiva, ao menos o mantém acordado para que o jogador não entre em campo dormindo.
Mas, como estou em débito com você leitor, por ter demorado a escrever nesses últimos dias, peço um pouco mais de paciência para continuar falando sobre as coisas do ABC neste jogo contra o Duque de Caxias.
Além da questão da motivação tem algo que me deixa intrigado: As decisões de Leandro Campos, técnico do ABC que, segundo a imprensa do Ceará, receberá, ou já recebeu, uma proposta IRRECUSÁVEL, do Fortaleza.
Segundo o treinador, Ricardo Oliveira não tinha a menor condição de jogar. Então porquê ele viajou, estava no banco de reservas e foi o primeiro a entrar no jogo devido ao problema com Rômulo?
Segundo o treinador, Alessandro Lopes estava em melhor condições que Thiago Garça e por isso seria titular. Lopes não jogava há 300 anos e logo no primeiro lance falhou.
De acordo com Leandro campos, o ataque com Geílson e Leandrão seria para que o ABC apostasse nas bolas aéreas. Não me lembro de lance de perigo com bolas altas. Vi, na realidade uma zaga adversária lenta que poderia ter sido vencida caso o ABC tivesse com um jogador de frente rápido e que jogasse pelas alas.
Por falar em alas. Como explicar Nêgo entrar na esquerda? O jogador que já não atua em bom nível há anos quando faz o que sabe, imagina o que fez tendo que atuar “torto” pela esquerda. A decisão foi tão horrível que depois ele precisou inverter tudo, sacrificando Pio na esquerda.
Para terminar, mesmo sabendo do risco que corria, pois já tinha feito duas substituições, não entendo porquê esperar tanto para colocar Éderson em campo se o time precisava do resultado. Arriscar, neste momento e naquela situação é essencial.
Acho que são muitos erros e problemas para uma reta final em que está em jogo muita coisa para o ABC.

4 comentários:

Diego Ivan disse...

É isso mesmo, disse tudo o que penso a respeito. Sem medo de revelar o que todos em Natal já sabiam.

Anônimo disse...

Até que enfim apareceu um jornalista sem rabo preso para falar a verdade sobre o ABC e Leandro Campos e Flávio Anselmo. Não incluo Rubens Guilherme porque o presidente do ABC reina, mas não governa.
Charles Gustavo da ABCíba-Macaíba

Anônimo disse...

Vou pegar uma carona no que meu irmão escreveu pois os salários do ABC e bichos tão atrasados e todo mundo sabe, mas Flávio Anselmo e Rubens vão para a rádio globo e dizem que tá tudo em dia. Jogador de futebol fica puto da vida quando o salário tá atrasado, mas dirigente nega tudo.O cara tem que escutar muito a rádio globo para acreditar que o salário do ABC tá em dia. Eu não escuto a rádio globo por isso. A rádio globo só fala o que os dirigentes querem. Gustavo Henrique da ABCíba-Macaíba

Anônimo disse...

falou tudo!!!!!