quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Leandro Campos, o trio desgosto e a defensiva exacerbada

Grande parte da crônica esportiva tem saído em defesa do treinador Leandro Campos.

Concordo que ele mereça todo o nosso respeito e admiração pelas conquistas que ele obteve para o Mais Querido.

Concordo que devamos respeitar e muito a pessoa humana do treinador, que demonstra ser um cidadão decente, que foi inclusive alçado ao rol daqueles que fizeram história em favor não só do ABC, mas do RN como um todo.

Mas não é cabível defender certas atitudes do treinador.

É indefensável sua insistência em Malaquias, Alessandro Lopes e Marcos Vinícius.

É indefensável o seu menosprezo a jogadores que mal têm chances, a ponto da Frasqueira ficar sempre na dúvida acerca da qualidade técnica dos mesmos.

É indefensável sua predileção por jogadores Teletubbies ou ex-membros da banda Restart que não jogam nada em detrimento de moleques que ninguém quer como genro mas que fazem a diferença.

Ou seja, há notadamente uma política de 2 pesos 2 medidas na hora da escalação do ABC, onde o "trio desgosto" recebe todas as chances do mundo e os demais são tratados como deserdados.

Que fique bem claro: sou partidário da manutenção de Leandro Campos na equipe do ABC, desde que ele não insista em escalar o "trio desgosto". No ABC só joga os melhores, e nisso a direção tem que intervir. Ou será que ela tá feliz em ver o "trio desgosto" trazendo prejuízos técnicos ao Mais Querido?

Gustavo Lucena

Um comentário:

Anônimo disse...

Flávio Anselmo fez muitas contratações para o campeonato brasileiro, mas só Bombinha agradou. Makelele só agora começou a subir de produção. Flávio Anselmo errou feio nas contratações, mas não admite.

A mais engraçado de tudo são uns 5 blogueiros e uns 5 profissionais do rádio amenizando os erros de Flávio Anselmo. Triste de quem lê e ouve esses caras.

Valeu meu camarada,
do seu leitor Paulo Antunes