domingo, 28 de agosto de 2011

Analise... Tranqüilidade... Competência... E alguma sorte...

Final do primeiro turno da Série B e é hora de analisar a situação do ABC, num momento em que o time não demonstra ter forças para sobrepujar seus adversários diretos. 

A situação do ABC é complicada. É incrível como as coisas no futebol se desenrolam. O ABC tinha uma vantagem circunstancial no inicio do Brasileiro, o conjunto, que foi prontamente perdida por erros de avaliação do elenco. Erro da direção do Clube e do treinador Leandro Campos que também tem parcela de culpa. Isso sem falar no quão enxuto era, e ainda hoje é, o elenco de profissionais do ABC. Essa vantagem se fez sentir, afinal de contas o ABC teve desempenho muito bom nos 10 primeiros jogos da competição e muito ruim nos últimos 9. Basta ver o gráfico abaixo.
Desempenho ABCdista em 19 Rodadas
Contratações para o inicio do segundo turno começam a chegar, é o caso do zagueiro Rafael Caldeira, dos volantes Rômulo e Esdras e dos atacantes Geilson e Lins. Elas são necessárias, mas além desses nomes fica claro que o ABC precisa de nomes para as laterais e para o meio. O desempenho dos laterais é ruim, Renatinho, Kauê, Samuel e Nêgo, estão super abaixo da critica, tanto no ataque quanto na defesa. Na meiuca o problema é a falta de substitutos relevantes para o Cascata, ou de um terceiro homem de meio de campo com boa qualidade ofensiva. Não estou falando em inchar o elenco, mas sim corrigir em algumas posições abarrotadas de jogadores meia boca. 

Agora é preciso ter tranqüilidade, se começar uma roleta russa de emoções, certamente o prejudicado será o time. A torcida tem que empurrar o time, empurrar mesmo, como quem empurra um bêbado ladeira acima. A direção do clube tem que trabalhar para trazer o torcedor para junto do time, não me perguntem como. 

É preciso também que os jogadores comecem a acertar, mas não com o componente sorte, mas sim com competência. Quem tiver qualidade tem que chamar a responsabilidade, dentro e fora de campo. Não se trata de sorte, se a situação do ABC se resumisse somente ao fator sorte, fatores como competência inexistiria. É buscar a excelência. 

Da sorte eu reclamo das contusões principalmente dos volantes, mesmo lembrando do elenco enxuto. É incrível o que Leandro Campos e agora Guto Ferreira passaram nesses últimos quatro meses. Sem falar do baixo rendimento de alguns, mas você ter dois ou três volantes ao mesmo tempo no DM é dose pra leão.

Escrevi esse texto muito mais para refletir sobre o momento, avaliando alguns aspectos que acho pertinente debater sobre essa derrocada (que tem tudo para ser revertida) Alvinegra.

3 comentários:

FERNANDO disse...

O verdadeiro torcedor é aquele que não abandona o clube nessas horas! apoiar quando esta ganhando é facil. A torcida tem que cornetar menos e apoiar mais! Não sou torcedor de modinha e terça se Deus quiser estarei la apoiando meu ABC!

Gibson Azevedo disse...

Fernando, este comportamento tem nome. Chama-se masoquismo!!!

O iluminado disse...

Sou torcedor modinha, e vou não!!!

Só vou pra ter alegria, raiva eu tenho em casa sem gastar nada.

Sorte aos que vão.