quinta-feira, 28 de julho de 2011

#ForaRicardoTeixeira: muito além das acusações corriqueiras

Desde ontem destaca-se no Twitter a hashtag #caiforaricardoteixeira.

Originalmente denominado #foraricardoteixeira, esta última jamais figurou nos Tops Trends de maneira bem obscura e inexplicável, pois vinha sendo uma das hashtags mais populares da rede social.

Efeitos práticos? Nenhum, afinal o ditador da cbf, mesmo com tantas denúncias, mesmo com uma rejeição cada vez mais crescente, mesmo que a Presidenta Dilma até o presente momento não queira encostar nele, continua poderosíssimo, tem uma imensa fila de políticos, dirigentes, jornalistas, emissoras, jornalões, revistões e puxa-sacos de plantão querendo beijar a mão e fazendo de tudo para protegê-lo.

No entanto, a hashtag serviu para marcar passo, dar um grito de insatisfação, um grito de desabafo.

O #ForaRicardoTeixeira é um grito contra a incompetência total e o autoritarismo.

O #ForaRicardoTeixeira precisa ir muito além do que um protesto contra a roubalheira que se apresenta na organização da Copa de 2014 ou os insucessos da seleção da cbf ou os obscuros critérios de convocações dos atletas.

O #ForaRicardoTeixeira deve ser por conta do descaso que ele trata as competições do futebol brasileiro. As Séries C e D estão abandonadas, mesmo com a cbf cheia de grana no rabo para financiá-las. A Série B sobrevive de migalhas e mesmo a rica Série A é bem desprestigiada, pois a entidade marca jogos em horários desumanos e no mesmo dia dos jogos da seleção.

O #ForaRicardoTeixeira também tem sua razão de existir pelo fato da cbf fazer de tudo para atrapalhar e aniquilar a vida dos clubes em vários aspectos, tais como:

-Proibir a venda de cervejas e entrada de bandeiras nos estádios, afastando os torcedores dos estádios;

-Afastar os torcedores marcando jogos para as 22 horas da terça-feira;

-Roubar patrocinadores dos clubes (o Santos perdeu o patrocínio da Seara para a cbf e estranhamente o presidente do clube praiano aceitou numa boa, pois é um dos maiores beija-mãos do ditador);

-Desfalcar os clubes convocando atletas para amistosos inúteis contra seleções de 5ª categoria;

-Atravessar as negociações dos clubes acerca dos direitos de transmissão da competição. Em 2009 a cbf matou de maneira covarde a FBA-que gerenciava financeiramente a Série B-e os clubes participantes ficaram mais pobres e presos até 2015 a um contrato de esmola. E nesse ano foi a "mão invisível" que conduziu a renovação do contrato dos direitos de transmissão da Série A com a Globo, mesmo indo contra a determinação do CADE, mesmo havendo a possibilidade de outras emissoras apresentarem propostas mais vantajosas;

-Em sua gestão as arbitragens ficaram piores e tendenciosas em favor dos clubes financeiramente e politicamente mais poderosos; houveram várias viradas de mesa nas competições organizadas pela cbf; o futebol da região Norte desapareceu; o futebol nordestino sobrevive as duras penas e o ABC foi forçado a entrar na sazonalidade em algumas ocasiões porque a cbf não sabe organizar um calendário de competições e nem deixa os clubes fazê-lo.

-Impedir os clubes de gerenciarem as competições que eles próprio disputam. O engraçado é que ao mesmo tempo que a cbf, p.ex. impede a organização da Copa do Nordeste, não organiza qualquer competição para manter os clubes não inseridos nas divisões do Campeonato Brasileiro em atividade.

Ou seja, as razões para banir Ricardo Teixeira do futebol brasileiro vão muito além das acusações criminosas e ilegais que vem pipocando por aí ou do desprezo que o mesmo possui as instituições estabelecidas.

Gustavo Lucena

2 comentários:

Breno Cardoso disse...

aquele pilantra tem que sair mermo do comando da CBF, está sufocando o futebol nordestino

Breno Cardoso disse...

Quero saber que fez mais 171zagens Rick Teixeira ou Johnny havelange