terça-feira, 19 de julho de 2011

Certos assuntos no ABC necessitam de CPI

Vou ser chato e corneteiro, mas preciso mostrar uma realidade nebulosa que está sendo ocultada por detrás da brilhante campanha na Série B.

Alguns assuntos vem incomodando os ABCdistas mais esclarecidos, no entanto, eles parecem ser verdadeiros tabus na mídia ou mesmo entre os próprios torcedores.

Quem ousar debatê-los, será taxado de corneteiro, de querer tumultuar o ótimo ambiente do clube, etc. Acusações aliás que vieram da gestão anterior.

Superada as preliminares vamos tocar nas feridas, humoristicamente ou simbolicamente taxadas por esse ordinário torcedor e blogueiro de #CPIs:

#CPIdoMalaquias:

Dos jogadores que entraram em campo, sem sobra de dúvidas o atacante é o que vem apresentando o pior rendimento.

Mesmo os limitados e contestadíssimos Alessandro Lopes e Marcos Vinícius em algum momento da competição apresentaram lampejos de bom futebol (ou pelo menos não comprometeram).

Malaquias não. Participou de quase todos os jogos e sua atuação sempre foi ruim, a ponto da torcida chamá-lo de Milacrias ou Malacrias. É o maior motivo de aborrecimento e piada entre os torcedores e mesmo cronistas.

Mesmo assim o treinador teima em mantê-lo no time. E muitos torcedores ficam com mais raiva, mesmo diante da boa campanha.

Esse é o mistério que mais incomoda a Frasqueira, a manutenção de Malaquias no time.

#CPIdasBases

Esse assunto já foi debatido por mim e por Diego Ivan em postagens anteriores.

Os jogadores do ABC, mal saem da barriga de suas mães e já são fortemente assediados pelo empresariado, que se comportam como verdadeiros abutres de olho na carne.

Hoje, escutando o rádio, soube que Didi Duarte falou que Joan, filho do ex-jogador Barata, poderá ser mais um a deixar o clube sem sequer ter jogado 1 partida como profissional. E que com o tempo, empresários espanhóis farão a mesma coisa que fizeram com Messi, levando o atleta ainda criança para o velho continente e trazendo com ele toda a família.

O que estranha é o silêncio do Conselho e a conivência da Direção do clube com essa prática imoral, que só prejudica os interesses do clube.

Afinal, o ABC precisa ter uma categoria de base forte, capaz de p. exemplo, suprimir a debandada de jogadores que está assolando o clube neste momento.

Do jeito que está tá complicado.

#CPIdosRenegados

Algo que tenho percebido na atual gestão é que a Diretoria tem evitado contratar jogadores que atuaram no ABC durante o mandato de Judas Tadeu. A exceção de Nêgo, Leonardo e de alguns pratas-da-casa que estão ou estiveram no ABC há pouco tempo atrás, os demais atletas foram trazidos na atual gestão.

Por mais que Tadeu tenha errado nas contratações, não se pode negar que ele acertou em algumas delas.

No entanto nomes como Márcio Hahn, Fabiano Gadelha, Éverton, Ricardinho e Jean Carioca são solenemente ignorados ou descartados na hora de contratar as peças de reposição para o restante da Série B. Ricardinho e Jean Carioca aliás já encontram-se empregados na Série B. E o mercado da bola cada vez mais fica com menos jogadores de qualidade a disposição.

Por que será que esses atletas, que deram certo no ABC, não poderiam figurar no elenco para ajudar o Mais Querido?

Enfim são assuntos que ainda dão o que falar, mesmo em rodinhas de torcedores bem restritas. Afinal, tudo está dando certo e espero que continue assim.

Gustavo Lucena

3 comentários:

Alexandre Costa disse...

Muito bom vc ter levantando o assunto. Vou publicar a mesma coisa em meu blog até porque apareceram informações que me indignaram ainda mais.
Abraços,
Alexandre Costa

Anônimo disse...

ACORDEEEEEEEEEEM

Jogador da era Tadeu não veste a camisa do ABC na era Flávio Anselmo.

Flávio não se bate mais com Tadeu.

Acordeeeeeeeeeeeem

Anônimo disse...

Nada se sabe da venda.
Nadaaaaaaaaaaa
A diretoria nada diz
Nadaaaaaaaaaa
O Conselho Deliberativo também não tá nem aí.

Meu nome é Enéas