quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Calendário de Competições do Futebol Brasileiro - parte 3: Copa do Brasil, problemas e soluções

Criada em 1989, a Copa do Brasil surgiu como uma forma de agradar os clubes e federações que foram excluídos da Série A do Camp. Brasileiro após o enxugamento de 1987.

Para valorizar a competição, ela passou a valer 1 vaga na Taça Libertadores.

Inicialmente, era disputada apenas pelos campeões estaduais, porém, quando a TV adquiriu os direitos de transmissão, passou a exigir a presença dos grandes clubes independente do desempenho desses nos respectivos estaduais.

No entanto, com o inchaço e a bagunça do calendário nacional, a Copa do Brasil passa a ser disputada nas mesmas datas da Libertadores, com isso a 2ª competição mais importante fica desvalorizada com a ausência dos principais times brasileiros e o nível técnico e mesmo o interesse sobre a mesma cai.

É um problema que pode ser solucionado facilmente: por se tratar de uma competição de tiro curto, não seria necessária colocá-la em apenas 1 semestre. O ideal seria que ela fosse espalhada ao longo do ano, onde cada mês teria apenas uma rodada da competição. E o mais importante é que as datas não coincidam com as rodadas da Taça Libertadores (espalhar a Copa do Brasil ao longo do ano em "conta-gotas" facilitaria essa não-coincidência).

Com isso, 2 coelhos são mortos numa cajadada só: além de contar com a participação dos clubes inseridos na Libertadores, a final do certame seria disputada em novembro e evitaria a situção de um clube "encerrar" o ano já no meio da temporada, pois já atingira o objetivo máximo dos clubes nas competições nacionais, que é chegar a Libertadores.

Outro problema consiste na indicação dos participantes. O ranking da cbf p/ indicar alguns participantes da Copa do Brasil na verdade, é uma forma camuflada de convite, procedimento proibido desde o advento do Estatuto do Torcedor.

Se a cbf quer qualificar a competição com a presença de clubes mais fortes e tradicionais do Brasil, porque não adotar a Série A como critério técnico para escolher os participantes não advindos dos Estaduais?

A Copa do Brasil poderia apresentar outras formatações mais interessantes, porém adotando uma linha mais conservadora, optei pela resolução do problema da maneira mais simples possível.

Gustavo Lucena

Nenhum comentário: