segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Denúncia gravíssima

Publicado por Pedro Neto.

Mano Menezes, novo técnico da Seleção Brasileira, posa de bom moço e de profissional sério, mas é parte do esquema.
O comentarista do SBT, Sérgio Carvalho, na sua coluna mensal – Toque de Bola – faz graves acusações ao técnico, Mano Menezes, sobre um suposto esquema na hora de convocar jogadores para Seleção Brasileira.
Sérgio Carvalho chega inclusive a citar nominalmente cada um desses jogadores e as quais empresários eles pertencem.
Confiram matéria completa:
Prestarem atenção no que vou denunciar aqui, perderão boa parte da confiança que porventura ainda poderiam ter no ex-treinador do Corinthians. Só para começar, o Juciclei, que nem titular do Corinthians é, veio do J Malucelli, do Paraná e pertence a Nick Arcuri, amigo pessoal de Kia Joorabchian (que praticamente foi expulso do Brasil acusado de atividades ilicitas e de ter ligação com a Mafia russa) e Carlos Leite, empresário que, “por incrivel coincidência”, é quem cuida dos interesses de Mano Menezes.
Outra “coincidência”: o jovem goleiro Renan, do Avaí, com apenas dois meses no time profissional, também pertence a Carlos Leite e foi convocado por Mano. E mais: dizem que Andrés Sanchez, presidente do Corinthians, mantém “negócios” não só com Carlos Leite, mas também com Giuliano Bertolucci, Wagner Ribeiro e Nick Arcuri, amigo de Kia. Sanchez foi o chefe da delegação brasileira que foi a Copa, “trabalhou” o nome de Mano para ser técnico da Seleção junto ao presidente Ricardo Teixeira, da CBF, que, também, segundo dizem, usa a Seleção para fazer dinheiro.
Ou seja: o “intocável” Mano, parece ter assumido a Seleção não apenas com o intuito de montar uma equipe que tenha condições de ser campeã do mundo em 2014, mas também para “ajudar a valorizar” jogadores que pertencem hoje a gente amiga e em particular ao seu próprio empresário (Renan e Juciclei são exemplos gritantes do que estou dizendo).
Diante desta triste realidade, chegamos à conclusão de que se antes de Mano a Seleção Brasileira já havia se transformado num enorme balcão de negócios, com o novo treinador a Seleção parece ter esse balcão ampliado sem nenhum pudor por aqueles que a partir de agora são responsáveis pelo seu comando. Ao ter acesso a esses dados, passo a entender agora os motivos que levaram Murici Ramalho a abdicar do cargo de técnico da Seleção.
Puro, sério, profissional, ele certamente não aceitaria trabalhar dessa forma. Mano, ao contrário, parece ter assumido sem nenhum constrangimento essa função e, quando essa denúncia chegar até ele, provavelmente vai reagir forte e dizer que “jamais usaria a Seleção para promover negociatas”. Pelos motivos que exponho acima, no entanto, parece claro que ele vai usar. Ou será que ele tem explicações convincentes de que isso não vai ocorrer? Duvido.
CURTAS
*COMO complemento dessa denúncia, vou relacionar jogador por jogador convocado por Mano com seus respectivos empresários. Analisem e cheguem as suas próprias conclusões. Eu, em particular, estou enojado com tudo isso. Não me conformo que uma convocação seja muito mais comercial do que técnica. É o fim da Seleção.
*GOLEIROS convocados por Mano: Victor, do Grêmio, Empresário, Fabio Mello. Jefferson, do Botafogo, é de Márcio Bittencourt. Renan, do Avaí, é de Carlos Leite e da L Sports. O Carlos Leite, como já disse, é o empresário de Mano. Fica a pergunta: por que convocar um goleiro que é profissional há apenas dois meses? Dá prá desconfiar.

*LATERAIS: Marcelo, do Real, é de Richard Alda. André Santos, do Fernerbahce, é, de novo, de Carlos Leite, empresário de Mano. Daniel Alves, do Barcelona, é de José Rodriguez Baster. Rafael, do Manchester United, é de Cassiano Pereira. Não se se os referidos empresários são muito chegados ou não ao treinador da Seleção.
*ZAGUEIROS: David Luiz, do Benfica, é de Kia Joorabchian e Giuliano Bertolucci (dois amigos íntimos de Andrés Sanchez. Henrique, do Racing, da Espanha, é de Marcos Malaquias. Rever, do Atlético Mineiro, é de Fabio Mello e Thiago Silva, do Milan, é de Paulo Tonietto. Dos quatro, o mais suspeito, é o David, por causa do polêmico Kia.
*VOLANTES: Sandro, do Inter, é de Luiz Paulo Chignall. Hernanes, do São Paulo, é de Joseph Lee e da Traffic. Juciclei, do Corinthians, é de Nick Acuri, mui amigo de Kia, Carlos Leite e Ronaldo. Lucas, vejam só, também é do empresário de Mano, o tal de Claudio Leite. E Ramires, do Benfica, acreditem, é do prório Kia Joorabchian.
*MEIAS; Ederson, do Lyon, é de Raphaele Zarra. Paulo Henrique Ganso, do Santos, é de Sabatino Durante e Giuliano Bertolucci. Carlos Eduardo, do Hoffenhein, pertence a Jorge Machado e Evandro Schimidt. Como voces percebem parte desses jogadores sao de Bertolucci, grande amigo de Sanchez, que apadrinha Mano na Seleção.
*JÁ OUVI dizer também que o presidente do Corinthians tem até um clube no nordeste do Brasil, onde trabalha garotos para exportação. Essa informação surgiu durante as últimas eleições no clube. Como ele ganhou, a Oposição recuou e não deu sequencia as apurações. Mas a informação ficou e até hoje não foi confirmada ou desmentida.

*ATACANTES: Alexandre Pato, do Milan, é de Gilmar Veloz. Gilmar é gaucho e, segundo se informa, é “amigo” de Mano. André, do Santos, é do grupo Sonda. Tardeli, do Atlético, é de Kia e Bertolucci (outra vez, os dois!!!). Robinho, do Santos é do Kia e Neymar, do Santos, é de Wagner Ribeiro e Bertolucci (de novo, o mesmo empresário).
*LÓGICO que fizemos toda essa esplanação com objetivo único de mostrar aos nossos leitores que os empresários de maior fama, “mandam” na Seleção Brasileira. Não quero dizer com isso que haja mutreta nas convocações. Apenas considero suspeitas algumas delas, pois os convocados não justificam a indicação de seus nomes.
*OU vocês acham mesmo que Juciclei merecia ser convocado? Como é que um reserva do Corinthians pode ser convocado para a seleção? Ainda mais se lembrarmos que o Corinthians tem Elias, um volante muito mais qualificado do que Juciclei. Só que este tem a “sorte” de estar preso a Carlos Leite, o mesmo empresario de Mano Menezes.
*O CASO do goleiro Renan, com dois meses de profissionalismo também reforça nossa tese de que parte dos convocados foi chamada porque possuem empresários fortes que ou tem negócios com o técnico ou são seus intimos amigos. Será que Mano quis ajudar seus “amigos”? Não sei. Mas fica no ar a pergunta. Tirem suas conclusões.
*HÁ até quem diga que uma nova máfia tomou conta do futebol brasileiro. Pode ser. Já aconteceu antes, mas, desta vez, está ainda mais evidente. Pela lista dos convocados e de seus respectivos empresários ficamos com a impressão de que, por um motivo ou outro, Mano quis mesmo agradar velhos amigos. Com que objetivo, só ele pode dizer.

É por coisas assim que a Seleção perdeu todo o seu charme e boa parte de sua torcida. Hoje o brasileiro se preocupa muito mais com seu clube de coração do que com a Seleção. No passado era diferente. Curiosamente, isso começou a ocorrer, a partir do momento em que Ricardo Teixeira assumiu a presidência da CBF. Outra “coincidência”?
*MAS deixemos a seleção de lado. Ela volta a jogar dia 10, mas ninguém está interessado. Quando interessou, ela perdeu feio para a Holanda e caiu fora da Copa. Culpa de Dunga, que não era o técnico ideal e de alguns dos jogadores que ele convocou (verdadeiros brucutus, que pouco sabiam do que é jogar bola). Uma incompetência total.

Nenhum comentário: