domingo, 4 de julho de 2010

1950 é espelho para 2014

Assistindo sexta-feira ao Repórter África da TV Brasil, tive que concordar sobre maneira com o que disse o técnico de futebol Renê Simões. Apesar de ser um mala, Renê falou algo importantíssimo, se além de organizar o Mundial a CBF também quiser vencer a Copa do Mundo de 2014. 

Segundo Simões, se o Brasil quiser vencer a Copa do Mundo em 2014, a preparação terá que tomar 1950 como lição. Terá que descobrir o que deu de errado no Maracanazo, para que a Seleção da CBF esteja em condições de vencer. 

Alguns dirão que o grande motivo para a derrota em 50 foi o oba oba da torcida, tradicional do nosso povo. Já outros dirão que foi o complexo de vira-lata, mas o verdadeiro motivo do fracasso foi algo tão em voga ainda hoje, que alguns poderão até se assustar.

O grande motivo que levou a derrota para o Uruguai foi o chamado jogo politico, ou interesses políticos em ano de eleição, assim como será em 2014. No dia do jogo foi decidido que a equipe, que passou toda a preparação e o torneiro concentrada num sitio localizado na Estrada do Joá, passasse do dia no Clube Vasco da Gama em São Januário. A Estrada do Joá era um lugar que a época era inacessível para o público em 1950. Foram todos para São Januário onde passaram o dia, sob a justificativa que era para ficar mais próximo ao local do jogo.

Ao invés de concentração os jogadores foram submetidos a todo tipo de sabatinas, além de ter que assistir todo tipo discursos políticos. Com isso, seus horários de refeição, descanso e até mesmo de treino foram alterados e o foco não ficou na partida decisiva. 

Desconcentrados e tendo que enfrentar uma Seleção duríssima como o Uruguai na final, o Brasil sucumbiu por 2 a 1 em pleno Maracanã.

O exemplo do passado está aí para lembrar-nos o que poderá se tornar o Mundial realizado no Brasil, em2014, principalmente conhecendo a corja do senhor Ricky Texeira e a não menos corja de políticos do Brasil.
Photobucket

Nenhum comentário: