quarta-feira, 16 de junho de 2010

Copa do Mundo #38

Não é a eguinha, mas a zebraça passeou toda pocotó pelo jogo Espanha 0 x 1 Suiça.

Meus amigos, nunca aquele bordão, “jogamos como nunca perdemos como sempre” foi tão perfeito. Eu sei que é lugar comum, mas fazer o que, tem coisas que são como são.

A Suiça é aquilo que se espera dela, ou seja, uma grande defesa, tanto em altura quanto em largura, e pouquíssima ou nenhuma habilidade ofensiva. 

E não é que a Espanha conseguiu levar gol deste time, lamentável. O que aconteceu de errado com a fúria? Primeiro, foi escalar errado o sistema ofensivo. Segundo, não respeitar as características de cada jogador, ou seja, inventar na escalação. 

O ataque Espanhol hoje foi escalado com dois jogadores de características semelhantes, mas sem aquela característica matadora, que neste time só o Torres tem. Veja bem, Torres no banco e o time jogando sem centroavante, resultado, toquinho pro lado e cruzamentos para ninguém na área. 

Quando os Suíços abriram o marcador, o treinador Del Bosque resolveu mudar o time, ou melhor, corrigir a falha tirando um volante e colocando Torres. Só que esse futebol Suíço é este estilo, bombão para todos os lados. 

Futebol é simples assim, colocar o talento no banco é prejudicial a qualquer equipe, uma hora a falta de talento cobra seu preço. 

A minha aposta é que a Espanha e o Chile se classifiquem, portanto prevejo que o Brasil deverá enfrentar a Espanha já nas oitavas de final. 

Ficha Técnica

Espanha (0): Casillas, Sergio Ramos, Piqué, Puyol e Capdevilla; Busquets (Fernando Torres), Xabi Alonso, Xavi e Iniesta (Pedro); David Silva (Navas) e David Villa. Técnico: Vicente del Bosque.

Suiça (1): Benaglio, Lichtsteiner, Grichting, Senderos (Von Bergen) e Ziegler(1); Inler, Huggel, Gelson Fernandes e Barnetta (Eggimann); Nkufo e Derdiyok (Yakin). Técnico: Ottmar Hitzfeld.
Photobucket

Um comentário:

Gibson Azevedo disse...

Esta Copa, Diego, parece ser um torneio de defesas fortíssimas e, salvo alguns gatos pingados, ataques de risos.É ver para crêr!...