sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

O ABC precisa de um matador

"Alta periculosidade, instinto de perversidade, ou é cemitério ou é cadeia."

Brincadeiras a parte, é fato inegável que depois de Sérgio Alves e de seus aproximadamente 90 gols o ABC sempre ficou a pé no que diz respeito a atacante. Isso se refletiu nas participações do ABC em competições nacionais e no próprio Estadual, por isso é tão importante conseguir um homem de área.

É claro que eu não me esqueci de Walysson, mas a característica desse jogador é outra, mais de lado de campo, mesmo que ele tenha sido artilheiro do ABC em 2007. Junior Negão merece uma menção honrosa, recentemente foi o único com desempenho aceitável, não teve mais ninguém que vestiu a 9 Alvinegra e fez a galera respirar aliviada em 2009.

Eu sei que o mercado futebolístico brasileiro está saturado, está caro contratar, qualquer perna de pau vem para Natal pedindo os tubos. Por isso é tão complicado encontrar alguém com característica de área. Mas se não dá para contratar, tem que formar. É isso que a base Alvinegra tem que focar nesse momento, formar jogadores que o profissional não consegue adquirir, no caso, atacante de área.

O que eu sei é que um fazedor de gols é meio time e no ABC não diferente.

papoalvinegro@gmail.com

6 comentários:

Alexandre Costa disse...

Esse negócio de matador é extremamente importante!
Veja que no Penta do Brasil tivemos sempre matadores. Pelé, Ronaldo, Romário...
E nos times que perdemos - apesar de bons times - o matador falhou, que é o caso de 82 com Serginho (matador de galinhas) e o "amarelão" que Ronaldo teve na França.
O time, portanto, não precisa ser ótimo, mas tem que fazer gols, o único fundamento que vale no futebol.

Abecedista disse...

Pegando um gancho no post, que traz ideias com as quais concordo, absolutamente, lembro aqui do jogador Isaac, das bases do ABC FC e que acabou de disputar a centroavante.

O que vcs acham dele?

Particularmente, gostei do jogador, pois tem realmente porte e postura de centroavante.

Torço para que se potencial seja aproveitado no futuro.

Tinha também um jogador do sub-15, Gláucio, que fazia gol que nem preste, mas que pelo jeito Judas Tadeu deu fim nele numa negociação com o atlético-pr...

Ah, esse Judas...

Abecedista disse...

Repetindo a pergunta, o que seria uma liga alvinegra de blogs???

???

Diego Ivan disse...

Abecedista, confesso que o jogo que eu vi do Isaac não me encantou, acho que deve ser melhor burilado.

Também tem o Jackson da Copa SP 2009, tinha mais jeito de matador.

O problema é que o ABC revela com facilidade, zagueiros, volantes e laterais, mas meias e atacantes de referencia(Não precisa ser grande, precisa ser fazedor de gols) fica devendo.

É claro que o biotipo regional limita a procura do matador em altura, mas as manhas da posição podem ser ensinados.

Abraço!!!

MÚSICA F. C. ! A VOZ DAS ARQUIBANCADAS. disse...

O ABC está sem um cabeceador.

Lembram-se de Juventude 2 x 0 ABC ( Alfredo Jaconi ) ? Vi o desespero de Rogerinho quando foi na lateral e não tinha um jogador de área para ele cruzar...

O ABC insiste em jogar e não ter um cabeceador nato.

Anônimo disse...

Não se joga sem um cabeceador de área. Júnior Negão se foi.